Negócios

09/05/2018

Acordo entre Mercosul e União Europeia deve trazer oportunidades para pequenas e médias empresas

Internacionalização exigirá aumento dos investimentos em inovação e produtividade

Acordo entre Mercosul e União Europeia deve trazer oportunidades para pequenas e médias empresas

Para que as negociações tragam oportunidades ao Mercosul, é necessário que os integrantes compartilhem as mesmas normas internas
(Foto: Miguel Schincariol / Perspectiva)

Mais avançado do que nunca, mas ainda em negociação, o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia deve ampliar as oportunidades de negócios para as pequenas e médias empresas brasileiras. Contudo, para se internacionalizarem e se manterem competitivas, as empresas terão de aumentar os investimentos em inovação e produtividade.

De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o acordo permitirá que as empresas brasileiras tenham acesso a um mercado de 500 milhões de consumidores. A Entidade ressalta, contudo, que a cultura do consumo na Europa possui uma abordagem própria, diferente da dos países do Mercosul. Com isso, devem sair na frente os estabelecimentos que realizarem viagens de prospecção técnica e estudos sobre hábitos de consumo para direcionarem ofertas de qualidade ao bloco europeu.

Veja também:
Em reunião na FecomercioSP, ministro do Comércio de Portugal diz esperar avanço do acordo entre UE e Mercosul
Comissão de Relações Internacionais da FecomercioSP discute internacionalização de empresas à luz de acordo entre UE e Mercosul

Ao mesmo tempo em que se abre uma oportunidade de comércio exterior, os empresários devem ter em mente que o acordo exigirá um aumento de qualidade da produção local, uma vez que a negociação é uma via de mão dupla. Dessa forma, bens e serviços europeus chegarão ao País, o que amplia a oferta e beneficia os consumidores brasileiros, enquanto as empresas enfrentam um cenário de competição mais acirrado.

Composto por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, o Mercosul é uma união aduaneira, espécie de integração regional em que há livre-comércio de bens e uma política comercial comum entre os países-membros – na teoria, a mesma tarifa de importação é aplicada por todos os integrantes para produtos provenientes de fora do bloco. A Venezuela também é um membro, mas está suspensa no momento.

A União Europeia, por sua vez, trata-se de um mercado comum, área em que é permitida a livre circulação de pessoas (inclusive trabalhadores), serviços e capital, além de bens. Atualmente, o bloco conta com 28 países-membros, incluindo o Reino Unido, que está em processo de separação.

A conclusão do acordo encontra obstáculos em ambos os blocos. Na União Europeia, o principal empecilho é o setor agroindustrial, uma vez que a produção de commodities agrícolas dos membros do Mercosul é muito mais eficiente em função de vantagens naturais da região, como o clima e o solo. Por outro lado, para que as negociações tragam oportunidades ao Mercosul, é necessário que os integrantes compartilhem as mesmas normas internas. Um exemplo é o setor de aviação comercial. Enquanto que no Brasil as empresas aéreas podem ter, no máximo, 20% de capital estrangeiro, na Argentina não há limite para investimento externo no setor.