Negócios

04/09/2018

Azul Linhas Aéreas Brasileiras aposta na alta conectividade

Atualmente, empresa localizada em Campinas (SP) oferece voos para cerca de cem cidades brasileiras, além dos destinos internacionais

Azul Linhas Aéreas Brasileiras aposta na alta conectividade

Estimativa da companhia é de abrir até dez novos destinos neste ano
(Arte: TUTU sobre fotos de Christian Parente)

Fundada em 2008, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras tem o objetivo de levar conexões aéreas às cidades nacionais, especialmente onde o serviço é deficitário ou inexistente. “A grande contribuição que a Azul pode trazer para o Brasil é olhar para esses locais e ajudar a conectá-los ao resto do País e do mundo”, comenta o vice-presidente financeiro, Alex Malfitani.

Em entrevista exclusiva à revista Comércio & Serviços, ele considera a proximidade com o cliente e a valorização de sua experiência como elementos fundamentais para quem busca o crescimento.

Veja também:
Espaços de coworking conquistam o mercado paulistano
“Self storage” é a solução a quem tem espaço reduzido para guardar pertences e documentos
Conselho de Turismo da FecomercioSP é contrário ao projeto de lei que limita preço de passagem aérea

Localizada em Campinas, a empresa optou em se instalar na cidade com 1,1 milhão de habitantes, por causa da ótima infraestrutura no Aeroporto de Viracopos e a alta demanda de uma região populosa e rica, que era mal atendida na época. “Hoje, temos uma combinação de infraestrutura, demanda local e alta conectividade. Em períodos de pico, chegamos a ter 180 voos por dia no aeroporto. Antes da Azul, não havia mais do que dez”, analisa Malfitani.

A aposta da companhia em um aeroporto fora do eixo principal da aviação brasileira foi certeira e ainda deve render muitos frutos ao setor aéreo. Hoje, a Azul voa de Campinas para 53 destinos diretos, além de atuar sozinha em 38 cidades, sendo três no exterior (Caiena, Fort Lauderdale e Lisboa). Ao todo, a empresa oferece voos para quase cem cidades do Brasil, enquanto a concorrência voa para 50. “A expectativa é de abrirmos de oito a dez novos destinos em 2018. Nos próximos anos, queremos chegar a 35 novas cidades, entre elas, Santa Cruz de La Sierra, Caruaru, Mossoró, Umuarama, Santos e Caçador”, estima.

Graduado em Engenharia pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e com MBA pela Kellogg School of Management, Alex Malfitani também atua à frente do Tudo Azul, programa de fidelidade da companhia com 11 milhões de associados.

Confira a entrevista completa na edição nº 57 da revista C&S, disponível aqui