Sustentabilidade

26/10/2018

Logística reversa muda destino final de eletroeletrônicos e beneficia toda a sociedade

Empresário pode aderir ao sistema gratuitamente e cumprir com a responsabilidade compartilhada imposta aos envolvidos no ciclo de vida dos produtos em desuso

Logística reversa muda destino final de eletroeletrônicos e beneficia toda a sociedade

Eletroeletrônicos e acessórios em desuso devem ser descartados em sistemas de logística reversa
(Arte/Tutu)

É comum termos em casa pelo menos um eletroeletrônico obsoleto. Pode ser um celular com tecnologia ultrapassada, fones de ouvido estragados, um secador de cabelos queimado ou uma impressora antiga. Eles ficam abandonados em gavetas ou encostados em algum canto e, muitas vezes, são descartados em locais impróprios.

Impedir o consumo acelerado desses e outros equipamentos na atualidade é difícil, mas é possível mudar o destino final desse material. A logística reversa é o sistema mais adequado para os eletroeletrônicos em desuso. Esse procedimento está previsto na Lei nº 12.305/2010, da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), e na Resolução nº 045/2015, da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SMA).

Veja também
Destino do lixo é questão de saúde pública; faça a sua parte
Comerciante deve atender à legislação e recolher pilhas e baterias portáteis para reciclagem
Reciclagem de baterias de chumbo-ácido é positiva dos pontos de vista ecológico, econômico e social

As medidas impõem responsabilidade compartilhada por coleta, recebimento e reciclagem desses produtos para toda a cadeia, porque nesses itens são encontrados metais pesados – tóxicos e nocivos ao meio ambiente e à população. Sendo assim, fabricantes, importadores e comerciantes devem seguir a legislação. Vale lembrar que o sucesso do sistema depende da iniciativa do consumidor, que deve devolver os eletroeletrônicos sem uso aos fabricantes, por meio dos Pontos de Entrega localizados nos estabelecimentos que comercializam estes produtos.

O desejo de facilitar à cadeia o cumprimento dessa obrigação levou a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a Gestora de Resíduos Eletroeletrônicos Nacional (Green Eletron), a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), a SMA e a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) a assinar, em 16 de outubro de 2017, um termo de compromisso, com o objetivo de implementar o sistema de logística reversa. A adesão ao sistema é gratuita e pode ser feita na Plataforma da FecomercioSP.

O comerciante que desejar participar precisa ceder, de forma não onerosa, o espaço para a alocação de um coletor, fornecido gratuitamente pela GREEN Eletron. Depois basta agendar com a GREEN Eletron a retirada gratuita dos eletroeletrônicos descartados pelo consumidor. Assim, a GREEN Eletron encaminha estes produtos pós-consumo à reciclagem. Muitos materiais são reaproveitados e voltam para o mercado na forma de equipamentos novos, ou outros produtos reciclados.

Saiba quais são os fabricantes e importadores que custeiam a GREEN Eletron e prefira adquirir produtos eletroeletrônicos destas marcas. Veja aqui.

O sistema de logística reversa traz ganhos para toda a sociedade e possibilita a manutenção do meio ambiente saudável e equilibrado. Saiba mais aqui.