Pesquisa de Emprego no Setor de Atacado de São Paulo

PESP ATACADO

Mercado de trabalho atacadista tem melhor resultado para janeiro desde 2013

O comércio atacadista no Estado de São Paulo voltou a gerar empregos com carteira assinada no primeiro mês deste ano, com a criação de 805 novas vagas, resultado de 15.488 admissões e 14.683 desligamentos. Trata-se do maior número de empregos gerados no mês de janeiro desde 2013, revertendo o cenário de dezembro, quando mais de 2 mil postos de trabalho foram fechados. Com isso, o atacado paulista encerrou o mês com um estoque de 498.955 vínculos celetistas, alta de 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em janeiro, entre as dez atividades pesquisadas, apenas uma apresentou redução de estoque de empregos na comparação com o mesmo mês de 2017: materiais de construção, madeira e ferramentas (-0.7%). Os destaques positivos ficaram por conta do comércio atacadista de produtos farmacêuticos e higiene pessoal (3,7%) e o de alimentos e bebidas (2,5%).

Segundo a assessoria econômica da Entidade, os dados do primeiro mês do ano demonstram uma continuidade no processo de recuperação das mais de 24 mil vagas perdidas entre 2015 e 2016. Para a FecomercioSP, esse resultado se dá graças à retomada do consumo das famílias e do consequente aumento dos pedidos dos estabelecimentos varejistas, principal cliente do setor.

Clique aqui para ter acesso à análise completa.

Sobre

A pesquisa analisa o nível de emprego do comércio atacadista do Estado de São Paulo, em 16 regiões e 12 ramos de atividade, por meio de dados primários do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged). A FecomercioSP passou a acompanhar tais informações em fevereiro de 2016.

(K = 1.000 empregos)

Como é obtido

Os dados de emprego são provenientes do Caged por meio das informações declaradas pelas empresas do setor de atacado paulista.

Os dados são divididos em 10 atividades. São elas: alimentos e bebidas; produtos farmacêuticos e higiene pessoal; tecidos, vestuário e calçados; eletrônicos e equipamentos de uso pessoal; máquinas de uso comercial e industrial; materiais de construção, madeira e ferramentas; produtos químicos, metalúrgicos e agrícolas; papel, resíduos, sucatas e metais; energia e combustíveis; outras atividades.

As informações obtidas são segmentados nas 16 regiões delimitadas por Delegacias Regionais Tributárias (DTRs): Capital, Litoral, Taubaté, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Bauru, São José do Rio Preto, Araçatuba, Presidente Prudente, Marília, ABCD, Guarulhos, Osasco, Araraquara e Jundiaí.

Utilidades

É um panorama sobre o nível de emprego no setor do atacado no Estado de São Paulo. Os dados coletados são de âmbito estadual, regional e municipal, ou seja, podem gerar análises individualizadas.

Análise de Índice

De:

Até:

Selecione ao menos uma das Segmentações para visualização

Conteúdos relacionados