São Paulo Qual é a sua?

Rua do Gasômetro Os melhores negócios estão em casa

X
Play Video

Portas, janelas, cômodas, gavetas e estantes sempre abertas para você.

Conheça também os números da
economia de SP.

 
Play Video

Gasômetro: da iluminação a gás ao comércio de madeira e ferragens
Conheça a história da rua que inaugurou uma nova forma de iluminação na capital paulista no século 19

Até meados do século 19, a iluminação de São Paulo era feita por lampiões alimentados por azeite de peixe. Depois desse, outros métodos foram responsáveis por acender as luzes da cidade: hidrogênio líquido, querosene e, finalmente, gás. Foi só a partir da noite de 6 de janeiro de 1872, em um estabelecimento denominado “Gasômetro”, no bairro do Brás, que a cidade começou a ser iluminada com esse combustível. O local se tornou conhecido na cidade e dá nome à rua até os dias de hoje. Ao longo do tempo, o comércio de madeira e ferragens passou a ser também um marco da Rua do Gasômetro, considerada uma das mais importantes do setor em todo o município.

Madeira e ferragens de pai para filho
Tradição familiar é comum entre comerciantes

As toras de madeira que chegavam a São Paulo no começo do século 20 precisavam de espaço para serem armazenadas – o que fazia do bairro do Brás, com seus terrenos espaçosos, o local ideal para a instalação das serrarias. Foi assim que a Rua do Gasômetro se tornou “a rua da madeira”, assim como, na capital paulista, a Rua da Consolação é o local da iluminação, e a Rua Santa Ifigênia, dos materiais elétricos. A loja mais antiga da Rua do Gasômetro foi inaugurada em 1938 e hoje é administrada pela terceira geração de herdeiros de seu dono original. Como este, muitos outros estabelecimentos foram passados de pai para filho, que se orgulham de ajudar consumidores com seu conhecimento sobre o material que vendem.

Gasômetro oferece variedade para marceneiros e restauradores
Experiência dos vendedores aliada aos bons preços atrai clientes

“Se você não encontrar o que está precisando na Rua do Gasômetro, não encontrará em outro lugar”, comentam diversos marceneiros e outros trabalhadores que têm ferragens e madeira como matéria-prima de sua produção, sobre o comércio dessa região do Brás. Profissionais dessa área e consumidores finais vindos de diversas partes do Brasil são maioria entre os clientes do centro comercial. Enquanto os primeiros buscam variedade de produtos, os demais prezam pelo atendimento cuidadoso dos vendedores experientes. Todos concordam no mesmo ponto: para esse tipo de material, os preços do Gasômetro são imbatíveis.

Muito além da madeira: Rua do Gasômetro diversifica produtos
Comerciantes ampliam os estoques para oferecer diversas soluções domésticas

As lojas que vendem madeira (em sua maioria, de reflorestamento, garantem os proprietários) foram por anos o carro-chefe da Rua do Gasômetro. Atualmente, é possível também encontrar casas especializadas em outros itens relacionados à marcenaria e à construção civil. Parafusos, torneiras, utilidades domésticas, móveis prontos, luminárias e ferragens compõem o “shopping a céu aberto” no centro de São Paulo.

Conheça também os números da
economia de SP.

 

Galeria Imagens

Imagens