Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Conselho de Economia Empresarial e Política

17/04/2020

Assista: recuperação econômica brasileira após pandemia é uma incógnita

Falta clareza da duração da crise e das estratégias que serão usadas para a retomada da economia, dizem especialistas da FecomercioSP

Ajustar texto: A+A-

Assista: recuperação econômica brasileira após pandemia é uma incógnita

Os entrevistados também comentaram sobre as propostas da FecomercioSP e o pacote de medidas tanunciadas pelo governo federal
(Arte: TUTU) 

Os reflexos econômicos e políticos da pandemia do novo covid-19 em curto e médio prazos serão graves, mas ainda não é possível estimar o cenário com precisão. Em debate sobre o tema, especialistas da FecomercioSP analisam como deve ficar a situação das 460 mil empresas paulistas que fecharam as portas desde o início da quarentena.

A falta de clareza sobre a duração da crise é um dos pontos que traz mais insegurança ao empresariado, segundo aponta um dos copresidentes do Conselho de Economia Empresarial e Política da Federação, Antonio Lanzana.

Conheça as reivindicações da FecomercioSP aos governos federal, estadual e municipal

“Na China, que pode ser uma referência, a crise teve início em dezembro e leves sinais de recuperação começaram em março. No nosso caso, provavelmente, uma leve retomada começa no terceiro trimestre”, estima.

“A grande questão entre os economistas é de como será o formato dessa recuperação, com queda e crescimento bruscos ou gradativos. Agora, estamos no pior momento da crise em termos econômicos”, diz o assessor econômico e coordenador do grupo de trabalho Doing Business da FecomercioSP, André Sacconato.

Na área política, também não há precisão para voltar a discutir reformas que integravam a agenda desse ano. “As questões fiscal e tributária, como o governo estava pensando, saíram do contexto; mas a administrativa, não. Inclusive, muita burocracias e muitos gargalos presenciados nesse momento dificultam o andamento e implementaçãode leis emergenciais necessárias para o enfrentamento da crise”, pontua o copresidente do Conselho de Economia Empresarial e Política da Federação, Paulo Delgado.

Os entrevistados também comentaram sobre as propostas elaboradas pela FecomercioSP – como um fundo emergencial com recursos de fundos públicos inativos – e o pacote de medidas trabalhistas anunciadas pelo governo federal, entre outros assuntos. 

Veja abaixo alguns pontos do debate e assista aqui ao vídeo completo. O conteúdo é exclusivo para os nossos associados. Clique aqui e cadastre-se.