Legislação

28/05/2019

Acompanhe o andamento das negociações coletivas 2018-2019 com os comerciários do interior

FecomercioSP recomenda que qualquer reajuste concedido pelas empresas, antes de a norma ser assinada, seja devidamente anotado em carteira

Acompanhe o andamento das negociações coletivas 2018-2019 com os comerciários do interior

Duas audiências de mediação foram realizadas no TRT da 2ª Região, em fevereiro e março, mas nenhum acordo foi fechado ainda
(Arte/Tutu)

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) continua a negociar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) com os comerciários do Interior da base inorganizada para o período 2018-2019.

Duas audiências de mediação foram realizadas no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região, nos meses de fevereiro e março, mas nenhum acordo foi fechado.

As negociações são importantes para que as empresas possam conceder reajuste salarial conforme o acordo firmado entre profissionais e os respectivos sindicatos na CCT.

Veja também:
Saiba a diferença entre acordo, convenção e sentença normativa

Esse reajuste salarial pago aos empregados é anual e leva em consideração a inflação, que, para o período, foi de 3,64%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A recomendação da FecomercioSP é que, enquanto a norma não é assinada, qualquer reajuste concedido pelas empresas de forma espontânea seja devidamente anotado em carteira e concedido como forma de antecipação.

Para isso, a empresa deve informar que o percentual de reajuste aplicado a partir de determinado mês é uma antecipação salarial. Isso possibilita futura compensação conforme o valor a ser negociado e fixado na CCT.

Acompanhe o andamento das negociações coletivas aqui.