Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Sustentabilidade

04/05/2020

Autoleitura de energia elétrica é vantajosa para comércios com portas fechadas

FecomercioSP orienta empresários a estudarem a viabilidade da nova modalidade de cobrança para maior economia

Ajustar texto: A+A-

Para os comércios que estão fechados desde março, por conta da quarentena em vigor, devido à pandemia de coronavírus, a autoleitura de energia elétrica é vantajosa. Neste período, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) desobrigou as distribuidoras de enviarem funcionários para apurar o consumo de energia. Com isso, empresários e consumidores podem fazer a leitura do medidor e informar para a distribuidora. A Enel Distribuição São Paulo já oferece essa opção.
 
As distribuidoras do Estado de São Paulo estão autorizadas a suspender a leitura e cobrarão pela média de consumo dos últimos 12 meses, o que pode gerar faturas maiores do que o consumo real para os estabelecimentos que estão fechados, situação que foge ao conhecimento de muitos consumidores. A fim de esclarecer o assunto, o Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP orienta a verificar a disponibilidade da autoleitura para que empresários consigam pagar pelo consumo real, e assim diminuir suas contas de energia elétrica.
 
Considerando que o índice de inadimplência dos clientes das distribuidoras de energia está, em geral, entre 15% e 20%, de acordo com dados da Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), a medida é essencial. Antes da quarentena, a taxa média era de 4%.
 
Neste cenário, o Conselho enviou um ofício para o Ministério de Minas e Energia solicitando que as outras distribuidoras também ofereçam a opção da autoleitura, pedindo, também, outros benefícios aos consumidores de energia elétrica, como a não cobrança de juros e multas em relação a essas faturas.