Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

17/04/2014

Cartões são opções cada vez mais seguras para compras online

Métodos de pagamento acompanham o aumento da bancarização da população e contam com autenticação dos bancos para dar ainda mais segurança no processo de pagamento

Ajustar texto: A+A-

Cartões são opções cada vez mais seguras para compras online

Um balanço da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) informou que os cartões de crédito e débito movimentaram R$ 853 bilhões em 2013, volume 17,8% superior ao transacionado em 2012. O destaque ficou para a modalidade débito, que registrou alta de 22,5% na movimentação (com R$ 300 bilhões em transações), enquanto o formato crédito cresceu 15,3% (e movimentou R$ 553 bilhões). No quesito número de transações efetuadas, o débito também apresentou expansão maior do que o crédito. Enquanto o primeiro cresceu 16,4% (com 4,8 bilhões de transações realizadas), o segundo evoluiu 11,6% (e totalizou 4,5 bilhões de transações).

Ainda segundo a Abecs, a posse de cartões de débito e crédito aumentou entre os brasileiros entre 2008 e 2013. Um levantamento divulgado no final de 2013 apontou que 76,1% da população têm algum tipo de cartão, contra os 68% registrados há cinco anos.

Compras na internet

As pessoas também estão utilizando mais o cartão para pagar suas compras feitas na internet. Conforme dados da associação, das pessoas que possuem cartão, 70% afirmam que acessam a internet regularmente e 30% costumam fazer compras online. O meio de pagamento mais utilizado no e-commerce é o cartão de crédito, com 67%. Quem não possui cartão de crédito, quando realiza alguma compra online admite utilizar o cartão de terceiros - três entre dez consumidores. Já 2% optam por boleto bancário.

Recentemente as lojas online brasileiras passaram a contar com mais uma opção para o cliente realizar o pagamento via internet: o cartão de débito. A Rede, por exemplo, uma das companhias líderes no mercado nacional de meios de pagamento eletrônico, já disponibiliza essa opção para as lojas de comércio eletrônico desde agosto do ano passado. No entanto, as pessoas ainda não estão acostumadas a utilizar esse método de pagamento nas compras online. A etapa extra de autenticação - que visa dar mais segurança a operação, direcionando o consumidor à pagina do seu banco para completar o pagamento - muitas vezes pode deixar o usuário na dúvida se aquele procedimento realmente faz parte do processo. "É uma questão de hábito, de o brasileiro se acostumar com esta etapa", aponta Nicolas Alfredo Wsevolojskoy, diretor de novos negócios e frentes digitais da Rede. Segundo ele, é preciso um processo educativo de comunicação para o consumidor não ficar desconfiado e entender esta etapa extra de autenticação. Por exemplo, tem que estar claro no site do banco e dos estabelecimentos comerciais online que oferecem a opção de pagar via cartão de débito o procedimento.

Para o comerciante é interessante oferecer mais uma opção de pagamento ao cliente - além do cartão de crédito e do boleto, os dois principais. Cerca de 70% das transações de crédito hoje são parceladas. Se o comerciante vender mercadorias com o tíquete mais alto - televisões, por exemplo - certamente aceitar pagamento em cartão de crédito será importante. Nesse caso, por que oferecer a possibilidade de pagamento em débito? "Quando o estabelecimento realiza uma venda via boleto bancário, precisa aguardar o pagamento para liberar a entrega do material. Por volta de 60% dos boletos emitidos geralmente não são pagos e a venda é cancelada. Com a venda no débito, não precisa aguardar o pagamento do boleto e a entrega acaba se tornando mais ágil", explica Wsevolojskoy.

É também mais seguro para o comerciante, pois como a autenticação da operação é feita pelo banco do cliente, caso haja algum problema, a responsabilidade é do banco. "O débito elimina o ponto de fraude, uma vez que vem autenticado pelo banco", aponta. Na avaliação do executivo, há um amplo espaço para o uso do cartão de débito nas compras online, devido ao fenômeno de ampliação de riqueza e bancarização. As pessoas estão tendo acesso mais rápido ao cartão de débito do que o de crédito.

Wsevolojskoy aponta ainda outros dois formatos de pagamentos online que deverão ganhar corpo neste e nos próximos anos. Um deles é o pagamentos a partir de dispositivos móveis, devido a evolução dos smartphones e do crescimento na comercialização desse tipo de aparelho no Brasil. Segundo a consultoria IDC, em 2013 a venda de smartphones atingiu recorde de 35,6 milhões de unidades no Brasil. O número é 123% maior em relação a 2012, informou a empresa no começo de abril. De acordo com o levantamento, a cada minuto foram vendidos 68 smartphones no Brasil. Para 2015, este índice deve subir para mais de 100.

A outra tendência que deve crescer são as carteiras digitais, aplicativos que armazenam os dados bancários e permitem o pagamento de mercadorias ou serviços pelos próprios smartphones. Um exemplo dado pelo executivo é a carteira digital utilizada pela Starbucks nos Estados Unidos, que permite a compra de suas mercadorias pelo smartphone e elimina a necessidade de o cliente esperar na fila para pagar a bebida adquirida. "Ele escolhe o que vai consumir e paga diretamente no aplicativo. Vai à loja apenas para retirar o pedido", exemplifica.

Fechar (X)