Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

22/06/2020

Confiança do empresário cai 21% e expansão do comércio sofre queda de 18,2% em maio

De acordo com a FecomercioSP, o Índice de Estoque (IE) também recuou 7,8% em maio

Ajustar texto: A+A-

Com a crise gerada pela pandemia de covid-19 mais acentuada em maio, foi possível ver o reflexo na confiança dos empresários. Este índice sofreu a segunda queda consecutiva (-21%) ao passar de 118,7 pontos, em abril, para os atuais 93,8 pontos, o menor patamar desde março de 2017. Assim, também houve baixa na intenção de investir e contratar do empresariado, com recuo de 18,2% no Índice de Expansão do Comércio (IEC), que passou de 107 pontos em abril para 87,5 pontos em maio, o menor patamar desde agosto do ano passado.  Seguindo a tendência de quedas, o Índice de Estoque (IE) caiu 7,8% de 118,9 pontos, em abril, para os atuais 109,6 pontos.
 
Para a FecomercioSP, além da epidemia, a crise política interferiu na confiança dos empreendedores, que não veem mais prognósticos positivos para o ano de 2020. Para minimizar as perdas, será necessário implementar políticas públicas. A Federação já apresentou aos governantes pedidos para a isenção e a prorrogação dos prazos para pagamentos de impostos. Assim como ampliação e facilitação de crédito para as micros e pequenas empresas com custos mais acessíveis.
 
Além disso, os empresários devem estar atentos às oscilações do câmbio, principalmente, os negócios que trabalham com produtos e/ou matérias-primas importadas. Porque isso pode impactar muito no fluxo de caixa, uma vez que as faturas tendem a apresentar variações de preços. A Entidade recomenda negociar os valores, os prazos e avaliar os fornecedores para possíveis substituições, caso necessário.
 
A FecomercioSP também sugere atenção com às estratégias de vendas para ajustar os estoques e elevar a receita, como aumentar os descontos, criar planos de fidelidade, garantia estendida e venda cruzada de mercadorias relacionadas, do mesmo segmento.
 
ICEC
O Índice de Confiança do Empresário (ICEC) registrou a segunda queda seguida (-21%) – de 118,7 pontos, em abril, para os atuais 93,8 pontos. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve recuo de 22,2%.
 
Os três quesitos que compõem o indicador registraram baixa: o Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio caiu 29,2%; o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio recuou 20,2%; e o Índice de Investimento do Empresário do Comércio registrou retração de 14%.
 
IEC
O Índice de Expansão do Comércio (IEC) apresentou a quinta queda consecutiva (-18,2%): de 107 pontos em abril para 87,5 pontos em maio. Na comparação com o mesmo período do ano passado a baixa também foi de 18,2%.
 
Os dois itens que o compõem também caíram, o índice Expectativas para Contratação de Funcionários baixou 20,8%, e o Nível de Investimento das Empresas recuou 14,9% na passagem de abril para maio.
 
IE
O Índice de Estoque (IE) caiu 7,8% de 118,9 pontos, em abril, para os atuais 109,6 pontos. Em relação ao mesmo mês de 2019, também registrou baixa de 9,5%.
 
A proporção dos empresários que consideraram os estoques adequados caiu 4,7 pontos porcentuais (p.p.), na comparação com abril, e 5,4 p.p. em relação a maio do ano passado.