Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Economia

23/07/2015

Desenvolvimento de liderança é desafio a ser vencido para a inovação

Burocracia prejudica o empreendedorismo no Brasil e solução está na mudança de paradigmas

Ajustar texto: A+A-

Desenvolvimento de liderança é desafio a ser vencido para a inovação

Por Deisy de Assis

Quando avaliado nos quesitos inovação e mecanismos para o comércio internacional, o Brasil recebe críticas categóricas de especialistas das áreas de política, economia e negócios. Os vizinhos Chile, Peru e Colômbia avançaram, deixando o Brasil em desvantagem. A burocracia é vista como uma barreira que impede a inovação. Neste cenário, desenvolver a liderança é uma necessidade.

Para o diretor do Fórum Brasil, Rússia, Índia e China (BRICLab) da Universidade de Columbia, Marcos Troyjo, um dos palestrantes do evento “As velhas e as novas faces da burocracia no Brasil” – que será realizado a partir da FecomercioSP com o Instituto Millenium, no dia 5 de agosto –, há um ambiente de negócios difícil.

“A exportação, que é fundamental para a economia, no Brasil tem coeficiente muito pequeno no Produto Interno Bruto (PIB)”, afirma. Na China e no Japão, aproximadamente 40% do PIB correspondem à exportação. Troyjo frisa que nos últimos 40 anos ambos os países, bem como Singapura e a Coreia do Sul, que investiram de maneira inovadora ao permitir o crescimento do comércio exterior e conseguiram sair da pobreza.

Entraves para a inovação

Em solo brasileiro, são inúmeros os entraves. Troyjo, também integrante do Conselho Consultivo do Fórum Econômico Mundial, elenca quatro principais empecilhos que formam o que ele chama de “ecossistema burocrático”.

O primeiro deles está relacionado à produção de conhecimento para a inovação e empreendedorismo. Em segundo lugar o especialista menciona a dificuldade de acesso ao capital em função das altas taxas dos juros. “O terceiro problema é o que eu chamo de empreendedorismo de ocasião, no qual o empreendedor vai agir dependendo da situação, não com foco na inovação”, diz.

Troyjo menciona a ausência de atitude para inovação como o quarto entrave, argumentando que no Brasil o sonho do jovem, de maneira geral, é a estabilidade do serviço público, ao passo que em outros países nota-se a vontade de empreender.

As soluções para esse quadro não são simples. É preciso que se alterem os paradigmas. “Vencer o monstro que é a burocracia exige medidas técnicas e de liderança. E a liderança é o grande desafio no Brasil”, diz Troyjo, referindo-se à preparação de grupos da chamada elite funcional (academia, política e negócios).

A inovação é um dos temas a serem debatidos no evento “As velhas e as novas faces da burocracia no Brasil”. Acesse aqui para se inscrever.