Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

25/02/2016

Disciplina garante senhas seguras em ambiente corporativo

Empresas devem escolher combinações complexas e implementar critérios para o acesso aos códigos

Ajustar texto: A+A-

Disciplina garante senhas seguras em ambiente corporativo

Especialistas alertam para os cuidados necessários para a segurança de senhas
(Arte TUTU)

Por Deisy de Assis

A vulnerabilidade de senhas pode colocar em risco dados e sistemas de uma empresa. Para garantir maior segurança em ambiente coorporativo, criar sequências difíceis e manter a disciplina no critério de acesso e na periodicidade de mudança dos códigos  são as orientações mais frisadas pelos especialistas.

Segundo boa parte dos analistas, as avaliadas como difíceis são as que possuem acima de seis dígitos e alternam entre números, letras maiúsculas e minúsculas, além de elementos como traço, arroba, cifrão, sinal de porcentagem e outros.

Para a criação das melhores combinações, o coordenador da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Vivaldo Breternitz, alerta que a escolha dos caracteres deve fugir de qualquer informação que tenha relação com a empresa ou com o usuário.

“Datas de nascimento, nomes e sobrenomes, numeração de documentos ou placa de veículos ou qualquer palavra relacionada a atividades da pessoa que criou o código ou a expressões populares do momento são itens que tornam as criações muito fracas e fáceis de serem decifradas”, afirma o especialista.

Da mesma forma, Breternitz contraindica uso de continuações numéricas (como “123456”) ou de sequências de letras conforme a disposição do teclado (por exemplo, “qwertyu”). “As pessoas ainda utilizam muito, mas essas sequências são extremamente frágeis”, diz o gerente de segurança da Locaweb, Rafael Abdo.

Fragilidade

O especialista destaca que, no ambiente coorporativo, é comum que funcionários compartilhem tais informações para acessar determinados sistemas ou rede interna. Segundo Abdo, a prática pode tornar uma senha vulnerável, mesmo que as escolhas de letras, números e outros caracteres tenham sido criteriosas.

“Dessa forma, dados importantes podem ficar desprotegidos. Não importa se o acesso é para o mesmo ambiente, cada profissional precisa receber uma sequência diferente do outro”, aponta Abdo.

Troca periódica

A alteração periódica também é considerada um fator importante para a segurança. A indicação mais frequente é que a mudança ocorra pelo menos de seis em seis meses. “Para maiores garantias, acredito que fazer a alteração a cada 90 dias seja o ideal. Contudo, dependendo da importância do dado a ser protegido, pode ser indicado trocar a senha uma vez por mês”, comenta o gerente de segurança da Locaweb.

Softwares

O coordenador da Faculdade de Computação e Informática do Mackenzie menciona que, atualmente, o mercado já dispõe de programas com a função de apontar a necessidade de troca de senha. “É interessante não apenas pelo fato de que o software avisa que deve ser alterada, mas pelo programa não permitir o acesso sem que ocorra mudança”, diz Breternitz.

Existem ainda softwares para a elaboração de novas senhas, assim como geradores de códigos online. Embora o uso pareça prático, já que criar uma combinação segura não é uma tarefa tão simples, os especialistas têm algumas ressalvas.

“É preciso lembrar que, com esses recursos, suas senhas estarão nas mãos de empresas e isso é um fator de risco que não deve ser desprezado”, comenta Abdo.