Economia

15/12/2017

Educadores debatem boas práticas do ensino na sala de aula

Especialistas compartilham experiências e destacam o papel dos professores no processo de melhoria do aprendizado

Educadores debatem boas práticas do ensino na sala de aula

Encontro controu com a presença de Nuno Crato, ex-ministro da Educação em Portugal, e dos professores Di Gianne de Oliveira Nunes e Adriane Gallo
(Foto: Christian Parente)

Em parceria com a SOMOS Educação e o Prêmio Educador Nota 10, o UM BRASIL reúne três especialistas para debater boas práticas do ensino nas salas de aula: o matemático e ex-ministro da Educação de Portugal, Nuno Crato; a diretora da Escola Municipal “Professora Coraly Júlia Gonçalves Carneiro”, Adriane Gallo Alcantara da Silva; e o professor de História da Escola Estadual “Alfredo Dohr”, Di Gianne de Oliveira Nunes.

Nuno Crato falou sobre a reforma no sistema educacional feita em Portugal em meio à grande crise econômica que atingiu a Europa entre 2011 e 2015. A reforma priorizou Português e Matemática nas escolas, eliminou outras disciplinas e aumentou o rigor na escolha dos professores e cobrança dos alunos nos estudos. “Nós pudemos ajudar os professores a ser exigentes com seus alunos. Estabelecemos metas mais avançadas, estabelecemos momentos de avaliação e tentamos ter bons manuais escolares”, diz.

Veja também:
País sem leitores é país sem pensamento, por Nélida Piñon
“Acesso à educação cresceu, mas qualidade ficou para trás”, diz Eduardo Mufarej
“Ignorância é tão ruim quanto doença”, diz Renato Janine Ribeiro

Crato destacou ainda que os indicadores melhoraram com as mudanças. O abandono escolar baixou de 25%, em 2011, para em 13,7%, quatro anos depois. As taxas de reprovação também caíram e os resultados apontados pelo Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) ultrapassaram, pela primeira vez, a média da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os resultados em Matemática para os alunos da quarta série foram melhores que os da Finlândia, comemora o ex-ministro.

Durante o debate, o professor Di Gianne de Oliveira Nunes apontou um grande problema que ele tem observado: “Tem muita gente que escolhe o Magistério, que escolhe a Licenciatura, porque é a faculdade mais barata e mais próxima. Tem gente que escolhe Pedagogia porque gosta de criança. E não é por aí. Tem de ter uma vocação. Por isso, o estágio é muito importante. Acho que precisa haver uma reavaliação dos professores, da questão da formação mesmo”.

Para Adriane Gallo, o que não se pode perder de foco é “assegurar o direito à aprendizagem, uma boa aprendizagem aos alunos, porque eles são o futuro do País”.

Assista à conversa mediada por Luciana Hubner, diretora pedagógica da SOMOS (Colégio Anglo21) e coordenadora do Prêmio Educador Nota 10, em que os três educadores compartilham experiências e destacam o papel dos professores no processo de melhoria do aprendizado. Finalistas do Prêmio, Adriane e Di Gianne contam ainda sobre seus projetos educacionais em escolas públicas e penitenciárias.

Acompanhe o debate na íntegra: