Negócios

29/05/2019

Entenda como a relação com fornecedores pode ser vital para o seu negócio

Pequenas e médias empresas devem buscar parceiros comprometidos e abertos à negociação de prazos de pagamento

Entenda como a relação com fornecedores pode ser vital para o seu negócio

Volume de vendas é fator preponderante na relação da empresa com o fornecedor
(Arte/Tutu)

Por Eduardo Vasconcelos

A estratégia comercial de pequenas e médias empresas costuma ser direcionada ao aumento das vendas e à relação com os consumidores. Contudo, para que essas ações funcionem, é importante dar um passo para trás para avaliar que o sucesso de uma política de vendas começa no recebimento das mercadorias. É nesse ponto que se percebe a relevância da gestão de fornecedores para o bom andamento dos negócios.

O fornecedor, em geral, exerce significativo impacto na oferta de produtos de uma loja e na formulação dos preços ao consumidor. Desse modo, pontualidade nas entregas e abertura à negociação de pagamentos são critérios que as empresas não podem menosprezar ao contratar os serviços de um fornecedor.

Veja também
Gestão eficiente dos estoques aumenta lucratividade das empresas
Acompanhar resultados de perto aumenta chances de sucesso da empresa
Fluxo de caixa diário permite identificar déficits pontuais na gestão financeira

Consultores em gestão empresarial comentam que estreitar a relação da empresa com o fornecedor é o caminho para tirar benefícios dessa relação. Grande parte disso se deve, no entanto, ao volume de vendas do estabelecimento, o que acaba sendo um obstáculo às empresas de pequeno porte.

“Mesmo com um volume pequeno de vendas, ainda assim dá para melhorar essa atividade. O empreendedor tem de encontrar alguém que se torne seu contato no fornecedor, passar a programação das compras e fechar pacotes de seis meses a um ano. Isso gera volume, o que é interessante para o fornecedor, e garante ao comércio que não falte produto durante um período”, explica o sócio-diretor da consultoria Blue Numbers, Márcio Iavelberg.

Como a relação com as redes de abastecimento depende muito do volume de vendas, é comum que pequenas empresas tenham dificuldade em negociar preços e pagamentos. Em alguns casos, pode se ver até mesmo em uma situação adversa para receber mercadorias. “Por isso, é sempre importante ter mais do que um fornecedor. Se ele vender tudo para outro cliente, a empresa fica sem produto”, salienta Iavelberg.

De acordo com o sócio-fundador da Binati Consultoria Empresarial, Elcio Elter, a relação com os fornecedores tende a ter uma melhoria gradual, de modo que empresas nascentes, ainda construindo credibilidade no mercado, lidam com negociações mais rígidas. Após essa fase, é hora de os empreendedores buscarem alternativas mais apropriadas a seus negócios.

“A empresa que está começando costuma se apegar ao fornecedor que aparece, mas dificilmente se trata daquele que vai perpetuar o negócio. Então, é importante buscar opções mais adequadas ao perfil do estabelecimento no que diz respeito a prazos, entregas, preços e volume de mercadorias”, recomenda Elter.

Nesse sentido, a assessoria técnica da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) ressalta que, para elencar os melhores fornecedores, é necessário fazer uma pesquisa de mercado, com atenção à concorrência e às oportunidades de receber produtos inovadores. Ademais, o empreendedor não pode esquecer que o fornecedor precisa ser tratado como um parceiro e que essa relação é vital para evitar déficits no fluxo de caixa, planejar estoques, formar preços e fidelizar clientes.

A empresa em fase de consolidação ou que busca crescer precisa, portanto, aperfeiçoar a maneira que se relaciona com os responsáveis por lhe prover matérias-primas, insumos e mercadorias. Para saber mais sobre a gestão de fornecedores, confira o conteúdo especial desenvolvido pela FecomercioSP.