Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Sustentabilidade

10/03/2017

Especialistas apresentam cases de sucesso no Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade

Autoridade sul-africana comentou implementação de sistema de ônibus urbano em Joanesburgo

Ajustar texto: A+A-

Especialistas apresentam cases de sucesso no Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade

A Conselheira de Sustentabilidade Urbana e diretora do Departamento de Planejamento de Gestão Ambiental da Prefeitura de Joanesburgo, Mohlago Flora Mokgohloa, apresentou um panorama sobre o desenvolvimento da capital da África do Sul e seus problemas de mobilidade urbana (Foto: Miguel Schincariol/TUTU)

Durante o lançamento do 6º Prêmio de Fecomercio de Sustentabilidade, realizado na manhã desta sexta-feira (10) na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), foram apresentados cases de sucesso de sustentabilidade no Brasil e no mundo.

Inscreva-se no 6º Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade.

A Conselheira de Sustentabilidade Urbana e diretora do Departamento de Planejamento de Gestão Ambiental da Prefeitura de Joanesburgo, Mohlago Flora Mokgohloa, apresentou um panorama sobre o desenvolvimento da capital da África do Sul e seus problemas de mobilidade urbana.

Flora foi responsável pelo desenvolvimento e implementação de um sistema de corredores de ônibus chamado BRT (Bus Rapid Transit, na sigla em inglês) em Joanesburgo, concebido para organizar o trânsito, até então caótico, da maior cidade do país e servir à Copa do Mundo de 2010.

“O sistema de transporte vem das áreas menos favorecidas, entra no centro da cidade e se conecta a outras áreas e cidades”, explicou Flora.

De acordo com ela, a África do Sul tem um plano de desenvolvimento sustentável com metas para serem cumpridas até o ano de 2030. O projeto especifica quais serão as cidades classificadas como sustentáveis até o prazo final. Entre os desafios, Flora cita o setor energético, a desigualdade social e o boom de imigrantes que atinge o país, principalmente sua capital.

“Essencialmente o que queremos dizer sobre urbanismo sustentável em Joanesburgo significa que estamos implementando sistemas de mobilidade olhando para mudanças climáticas e tecnologia”, disse Flora. “Outra coisa que estamos fazendo são ruas que inicialmente priorizam a caminhada. Depois, o ciclismo e, em seguida, o transporte público. Estamos integrando isso em áreas verdes para que as pessoas possam relaxar e ter oportunidades de atividades de recreação”, completou.

Vencedor do Prêmio

Também presente ao lançamento do 6º Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade, Gabriel Estevão Domingos, diretor técnico do Grupo Ambipar, comentou seus cases que ganharam as 3ª e 4ª edições da premiação.

Seu primeiro prêmio ocorreu quando ainda era estudante de Engenharia Ambiental. O projeto analisou o descarte de resíduos da pesca de crustáceos no Guarujá, no litoral paulista. A partir desses resíduos foi possível desenvolver uma ração para cães e gatos.

O segundo prêmio envolveu a reciclagem de descarte das indústrias de fertilizantes em Cubatão, cidade também localizada no litoral paulista. Com a matéria-prima não utilizada, foi desenvolvida uma tinta acrílica com resultado semelhante ao do produto tradicional.

“A grande sacada para difundir os projetos foram as ações socioambientais. Não basta apenas desenvolver o case e deixar na gaveta. Tem que trazer para o mercado, gerar emprego e renda”, afirmou Domingos.

Premiação

O Prêmio Fecomercio de Sustentabilidade tem como finalidade dar visibilidade e reconhecimento a projetos de negócios ambientalmente viáveis, ações públicas, reportagens jornalísticas e estudos acadêmicos pautados nos princípios da sustentabilidade.

A sexta edição do prêmio tem como referência os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que se trata de uma agenda mundial adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU) composta por metas a serem atingidas pela humanidade até o ano de 2030. Essas medidas envolvem ações nas áreas de erradicação da pobreza, segurança alimentar, agricultura, saúde, educação, igualdade de gênero, entre outras.

Nesta edição, as categorias contempladas na premiação são as seguintes: empresa; indústria, órgão público; academia; reportagem jornalística; e entidades empresariais.

Os finalistas serão anunciados em fevereiro de 2018 e a cerimônia de premiação acontecerá em março. Os vencedores receberão títulos de capitalização ou previdência, no valor de R$ 15 mil, e troféu. Os trabalhos classificados em segundo e terceiro lugares também serão reconhecidos.