Editorial

24/01/2018

Famosos e fãs prestigiam Gianecchini e Tozzi na estreia do espetáculo “Os guardas do Taj” no Teatro Raul Cortez

Primeira apresentação foi dedicada ao ator Tarcísio Meira, que acompanhava a peça ao lado da esposa, Glória Menezes

Famosos e fãs prestigiam Gianecchini e Tozzi na estreia do espetáculo “Os guardas do Taj” no Teatro Raul Cortez

Antes de chegar ao Brasil, o texto do norte-americano Rajiv Joseph, traduzido e adaptado por Primot, passou uma temporada em Portugal 
(Arte/TUTU)

A primeira apresentação da peça Os guardas do Taj em solo brasileiro foi aplaudida de pé por uma plateia formada por convidados, famosos e fãs, que prestigiaram a estreia do espetáculo no Teatro Raul Cortez, na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

“Quero dedicar essa peça ao Tarcísio Meira, pois a primeira cena que eu fiz na minha vida foi com ele; e ao casal [Tarcísio Meira e Glória Menezes], que é o casal do século e do Brasil”, disse Ricardo Tozzi, um dos protagonistas da atração, indicando o casal que ocupava uma das primeiras fileiras do auditório.

Veja também:
Aos 20 anos de carreira, Gianecchini desiste de ano sabático para atuar em “Os Guardas do Taj”

Além deles, estiveram presentes convidados como a apresentadora Adriane Galisteu e seu marido, o empresário Alexandre Iodice, a atriz Ana Lucia Torre e a cantora Emannuelle Araújo, entre outras personalidades.

“São grandes personagens para excelentes atores. Isso é o que o ator sempre busca. Além disso, na estreia estão presentes pessoas queridas, que mexem com eles, por isso, estar aqui é muito emocionante”, disse a atriz Mayara Magri, sobre a obra que tem direção de Rafael Primot e de João Fonseca.

Antes de chegar ao Brasil, o texto do norte-americano Rajiv Joseph, traduzido e adaptado por Primot, passou uma temporada em Portugal no fim do ano passado. Para interpretar o soldado Humayun, Reynaldo Gianecchini adiou seu afastamento das artes cênicas em um ano sabático que usaria para se dedicar à vida pessoal.

Na obra, Gianecchini e Tozzi vivem guardas do Taj Mahal, em 1648. Babur (Tozzi) e Humayun (Gianecchini) são proibidos de olhar para o monumento antes da sua inauguração. Ao longo do texto, as personalidades de ambos se confrontam diante das regras estabelecidas e da maneira como cada um deles vê a sociedade.

“Acompanho a carreira do Gianecchini sempre no teatro, pois acho que ele é ainda mais talentoso no palco do que na televisão. A primeira peça que assisti dele foi aqui mesmo, no Raul Cortez, e se chamava Doce deleite (2009)”, conta a secretária Tassia Souza. “Gostei da peça de hoje, pois mostra que a amizade pode ser uma relação mais forte que a de irmãos.”

“O que mais chama a atenção é que o cenário é simples, mas fica grandioso e rico nesse contexto. A trilha sonora e a luz também causam impacto”, observou o ator Alexandre Jabali, um dos convidados da estreia. “Fiquei curiosa porque não sei se a história que contam na peça é verídica em relação às consequências da construção do Taj Mahal”, completa a cantora Roberta Ayres.

Para conferir, assista a Os guardas do Taj no Teatro Raul Cortez – a peça fica em cartaz até 25 de março.

Informações da peça “Os guardas do Taj”

Data: de 13 de janeiro até 1º de abril de 2018.
Sextas e sábados, às 21h; domingos, às 18h.
Ingressos: sexta, R$ 60; sábado, R$ 80; e domingo, R$ 70.
Teatro Raul Cortez – Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista, São Paulo (SP).
Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ou pelo site Compre Ingressos.
*Nos dias 9, 10 e 11 de fevereiro (final de semana de Carnaval), não haverá apresentação do espetáculo.