Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Economia

11/02/2016

Índice de confiança continua estável em janeiro, mas empresários do varejo seguem pessimistas

Indicador cresceu 0,7% em relação a dezembro, porém, na comparação anual, apresentou declínio de 24,8%

Ajustar texto: A+A-

Índice de confiança continua estável em janeiro, mas empresários do varejo seguem pessimistas

Em janeiro, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) alcançou 74,5 pontos, uma elevação de 0,7% em relação a dezembro de 2015. Entretanto, na comparação com o mesmo período anterior, o recuo foi de 24,8%. Apurado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o ICEC varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

De acordo com a Entidade, o indicador vem apresentando certa estabilidade desde o segundo semestre de 2015. A Federação reforça, entretanto, que ainda se trata de um resultado negativo e indica pessimismo dos empresários do setor. Afinal, inflação, juros altos, falta de crédito e desemprego derrubaram as vendas em 2015 e devem manter fraco o desempenho do setor ao longo de 2016.

Em relação à análise por porte, os donos de grandes e pequenas empresas apresentaram um nível de confiança bastante semelhante em janeiro. A confiança dos proprietários de empresas com mais de 50 funcionários reduziu 32,8%, no comparativo anual, mas subiu 5,2% em relação a dezembro, atingindo os 75,1 pontos.
Já para as empresas com até 50 empregados, houve queda de 24,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, mas alta de 0,6% na comparação mensal, e o ICEC atingiu 74,5 pontos.

Indicadores
O Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), um dos componentes do indicador, avançou 7,1% em relação ao mês de dezembro, ao atingir 35,6 pontos. O resultado foi influenciado positivamente pelos três subíndices que o compõem, com destaque para o que mede a percepção relativa às condições atuais das empresas comerciais (CAEC), que registrou alta de 7,7%, ao passar de 51,4 pontos em dezembro para 55,4 pontos em janeiro.

O Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) apresentou estabilidade em relação ao mês de dezembro, ao registrar 113,5 pontos. Na comparação com o mesmo período de 2015, porém, houve queda de 15,7%. A leve alta de 2,1% do índice que mede as expectativas em relação à economia brasileira (EEB) foi neutralizada pela queda dos dois outros indicadores que compõem o IEEC.

O Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC), por sua vez, foi o único a apresentar recuo em janeiro (-1,3%) em relação a dezembro de 2015. O indicador que mais impactou esse resultado foi o que mede o nível de contratações de funcionários (IC), o qual apresentou queda de 3%, ao passar de 88,4 pontos em dezembro para 85,7 pontos em janeiro.