Negócios

15/05/2019

Inovação e disciplina são essenciais para microempreendedores individuais se manterem no mercado

Segundo a FecomercioSP, é preciso eliminar a mentalidade de empregado celetista e seguir regras básicas empresariais

São Paulo, 15 de maio de 2019 – Com as crises política e econômica que abalaram o Brasil nos últimos anos, houve alta no número de desempregados. Dados mais recentes do IBGE apontam que 13,4 milhões de pessoas estão em busca de emprego. Nesse contexto, mais de 8,1 milhões de brasileiros decidiram abrir seu próprio negócio e se tornaram Microempreendedores Individuais (MEIs). A cada dez empresas abertas no País, oito são MEIs – só no primeiro trimestre de 2019 se somaram 380 mil novos empreendedores.
 
Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), inovação e disciplina são as chaves para esses novos empresários se manterem bem no mercado. Para a Entidade, é preciso eliminar a mentalidade de empregado celetista e seguir regras básicas empresariais. Decisões como público-alvo, horário de funcionamento, área de atuação, rol de mercadorias e políticas de precificação agora são decisões singulares.
 
A FecomercioSP recomenda que esses empreendedores se mantenham sempre bem informados sobre as tendências de mercado, buscando inovação constantemente para seguirem competitivos. Também é importante se atentar à legislação vigente e às normas trabalhistas (o MEI pode ter um funcionário), sanitárias, ambientais, metrológicas e de segurança.
 
Confira mais regra fundamentais para a saúde financeira dos MEIs:
 
- Separar a movimentação da empresa e as finanças pessoais;
- Criar uma carteira de clientes com histórico do consumo;
- Criar um fluxo de caixa diário, a fim de delimitar entradas e saídas de forma específica;
- Controlar as entradas e saídas, diferenciando o que é à vista ou a prazo;
- Adaptar o estoque às sazonalidades e ao fluxo das vendas;
- Receber antes de pagar, ou seja, ajustar os prazos de recebimentos antes do pagamento aos fornecedores;
- Avaliar concorrentes: mercadorias, fornecedores, marketing e preços;
- Comercializar mercadorias ou serviços com inovação – no produto, na forma de atendimento, na disposição ou na propaganda;
- Personalizar o atendimento, visto que um dos pontos fortes dos pequenos estabelecimentos é a proximidade com o cliente;
- Manter o caixa sempre no positivo: o cuidado com os prazos evita furos e, com isso, menor necessidade de buscar recursos no sistema bancário, uma vez que a taxa média de juros para pessoa jurídica no Brasil sobrepõe 50% ao ano;
- Ter uma boa lista de fornecedores, avaliando qualidade da mercadoria, prazos e formas de pagamento; pontualidade e disponibilidade; e preços e histórico de ocorrências.