Economia

17/03/2014

Interesse paulistano em adquirir crédito sobe em fevereiro

Para FecomercioSP, reajuste do salário mínimo influenciou no aumento do indicador

Interesse paulistano em adquirir crédito sobe em fevereiro

O interesse dos paulistanos em adquirir financiamentos subiu pelo segundo mês consecutivo em fevereiro ao elevar 8,3%, após alta de 2,9% em janeiro. Os dados são da Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). De acordo com a entidade, a melhoria de 13,7% na segurança do crédito impulsionou o resultado, assim como o avanço anual de 18% no indicador de desejo de novos financiamentos. O índice de segurança financeira também subiu no período, com alta de 13,4%. O reajuste do salário mínimo influenciou no aumento do interesse em crédito dos paulistanos, segundo análise da FecomercioSP. Além disso, as compras de Natal, parceladas em duas ou três vezes, já foram pagas. 

O aumento de 5,3 pontos percentuais no número de pessoas com algum tipo de aplicação para 43,7% do total também contribuiu com o avanço do indicador. A maior parte das aplicações se concentra em cadernetas de poupança, com 76%, seguida por 11,8% em fundos de renda fixa e 5,4% em previdência privada.

A melhoria na sensação de segurança de crédito atingiu as pessoas endividadas - 5,2% no comparativo mensal e 8,8% na base anual - e as sem dívidas, de 16,7% em ambos os períodos.

Para a Federação, no entanto, os resultados de fevereiro não são conclusivos o suficiente para frear o pessimismo dos mercados financeiros no momento.

Os dados que compõem a PRIE são coletados em 2,2 mil entrevistas mensais realizadas na cidade de São Paulo.