Negócios

08/06/2015

Mercado de alimentos e sucos funcionais promete saúde e bons negócios

Expectativa é que o ramo siga crescendo a uma taxa média de 8% a.a. nos próximos cinco anos

Mercado de alimentos e sucos funcionais promete saúde e bons negócios

Por Raíza Dias

Limpeza de células, energização do corpo, desintoxicação, brilho na pele, perda de peso e aumento de imunidade. Essas poderiam ser promessas milagrosas de remédios, mas são, na verdade, efeitos estimulados por alimentos e sucos, os chamados “produtos funcionais”. Caracterizados por produzir benefícios à saúde, esses alimentos abriram uma porta de possibilidades e oportunidades no mercado brasileiro, movimentando US$ 14 bilhões em 2014, de acordo com pesquisa da Euromonitor International. As projeções mostram que ainda há muito espaço a ser explorado. Isso porque há uma expectativa de que o ramo siga crescendo a uma taxa média de 8% a.a. nos próximos cinco anos, chegando a algo em torno de US$ 20,5 milhões em 2019.

A busca por uma vida mais saudável é o motor desses negócios, segundo a sócia-fundadora do Grupo Bittencourt, Cláudia Bittencourt, especializada em gestão de negócios. "É uma tendência forte aqui no Brasil aliar uma alimentação saudável à boa saúde”. Esse foi justamente o motivo que levou o empresário Bruno Fattori a investir no ramo. Decidido a adotar uma alimentação mais saudável, Fattori se deparou com poucas opções no mercado. A partir daí, nasceu o Le Manjue Organique, restaurante gourmet de cozinha orgânica criado em 2008. O negócio tem em seu DNA a proposta de combinar ingredientes que proporcionem uma alimentação saudável, sem deixar de lado o sabor. "Nosso principal objetivo era manter o sabor aliado à saúde. Acredito que o fundamental é comer algo que não te faça mal", indica o administrador. 

Com opções de bufê e pratos à la carte, os conceitos orgânico e funcional estão presentes nos alimentos do Le Manjue. O cardápio é legendado, apresentando os pratos funcionais. A informação é a principal aliada desse mercado, como cita Cláudia Bittencourt. "Mais do que oferecer o que dizem que faz bem, ele deve se certificar dos efeitos e benefícios dos alimentos que irá prover para a população", recomenda. A transparência deve ser a base do marketing nesses casos. 

Uma bebida, muitas funções
A ferramenta da informação, que deu certo na tática de negócios do Le Manjue, é também o alicerce da Urban Remedy, empresa que comercializa bebidas e alimentos orgânicos e vivos. A companhia foi criada em 2008, por Neka Pasquale, uma americana dedicada a estudar a relação entre comida e bem- estar, com um currículo que envolve medicina chinesa, acupuntura e nutrição. 

Em 2013, três brasileiras conheceram a proposta e decidiram trazer a Urban Remedy para o Brasil, já que não havia produtos como esses no Brasil. O negócio tem em seu cardápio bebidas, refeições e snacks. São 18 sucos, todos com informações sobre os ingredientes, tabela nutricional e efeitos benéficos que proporcionam. Algumas bebidas, inclusive, substituem refeições, saciando a fome, melhorando a digestão e aumentando a imunidade, além de proporcionarem benefícios específicos, como fortalecer o fígado e o coração.

Um caminho de possibilidades
Para a professora de Marketing da Universidade de São Paulo, Ana Ikeda, o mercado de alimentos funcionais ainda tem muito a ser explorado. “O Brasil é o terceiro mercado de cosméticos no mundo e esse aspecto dos alimentos funcionais não é aproveitado. O mercado brasileiro tende a crescer muito mais ainda, talvez em um ritmo mais lento do que o esperado, porque as empresas não trabalham com toda a potencialidade, uma vez que elas não estão usando ferramentas de comunicação e informação como deveriam”, assinala. A professora recomenda, ainda, unir o sabor aos benefícios desses alimentos. 

No tocante à oferta, a consultora Cláudia Bittencourt destaca a predominância em locais associados à vida saudável. Por isso, um bom princípio para investir no ramo é gostar de promover o bem-estar. 

A matéria completa foi publicada na edição 38 da revista C&S e pode ser lida aqui.