Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

17/03/2021

Mulheres se adaptam na pandemia para empreendedorismo feminino continuar a crescer

Participantes de webinário dão dicas para fortalecer a rede de empreendedoras no País

Ajustar texto: A+A-

Mulheres se adaptam na pandemia para empreendedorismo feminino continuar a crescer

“O que se consolidou como alternativa para as empresárias de uma forma, e que vai continuar crescendo, é a venda por meio de marketplace", explica Kelly
(Arte: TUTU)

A pandemia de covid-19 agravou de forma significativa a participação feminina no mercado de trabalho, aprofundando a questão de equidade de gênero. Este cenário e, em contrapartida, a importância das iniciativas capazes de fortalecer o empreendedorismo das mulheres foram o centro da conversa do webinário Lições que Aprendemos Durante a Pandemia, organizado pela FecomercioSP na última quinta-feira (11).

“O universo corporativo ainda é bastante hostil para as mulheres, e elas ocupam poucos cargos de liderança. Temos o desafio para superar esta jornada – e estar em redes para mulheres tem um diferencial absurdo”, diz Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora, criada há 11 anos para apoiar o empreendedorismo feminino no Brasil com integração, capacitação e troca de conhecimento entre mulheres que tenham ou busquem abrir o próprio negócio.

Entenda mais sobre o assunto
Parcerias, rede de apoio e digitalização são os aprendizados de 2020 que vieram para ficar
Março é o mês das mulheres empreendedoras na FecomercioSP; participe!

No caso das já empreendedoras, conforme destaca Kelly Carvalho, economista e consultora da FecomercioSP, adaptações tiveram de ser feitas, como em qualquer empresa. Elas tiveram de acelerar o processo de digitalização para não ficar fora do mercado, uma vez que a pandemia também impactou os negócios. “O que se consolidou como alternativa para as empresárias de uma forma, e que vai continuar crescendo, é a venda por meio de marketplace, um canal atrativo para expor os produtos e ter visibilidade em uma plataforma já consolidada no mercado, a um custo relativamente baixo. O empreendedorismo feminino também se destacou nas redes sociais”, diz.

Dani Junco, fundadora da B2Mamy, lembra que, apesar das alterações e modernizações nos negócios, o crescimento de uma empresa depende do aumento nas vendas, a base de todo o negócio, e dá conselhos para quem procura começar a empreender. “É preciso olhar para os números, para o dinheiro, agora, e aí tomar as decisões. Conectar-se com a comunidade rapidamente e olhar para a tecnologia e a inovação. Ainda vale ressaltar que empreender é vender; quem não vende, ajuda a vender nas diferentes áreas da empresa”, explica ela.

Assista ao webinário na íntegra aqui.