Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

19/05/2020

Previsão para abertura do comércio facilitaria chegada de crédito a empresários

Ouça a presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, na série Mercado & Perspectivas

Ajustar texto: A+A-

Previsão para abertura do comércio facilitaria chegada de crédito a empresários

O Magazine Luiza tem 1.100 lojas físicas em 18 Estados e, antes da pandemia, já tinha cerca de 60% das vendas feitas no ambiente digital
(Arte: TUTU)

A falta de uma previsão para a abertura do comércio em diversas cidades brasileiras prejudica a chegada do crédito aos pequenos empresários, conforme avalia Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, em entrevista para a série Mercado & Perspectivas, uma iniciativa da FecomercioSP.

“Agora, depois de quase 50 dias de quarentena, os governadores precisam dar um pouco de previsibilidade sobre como vai ser a abertura do comércio. Isso afeta a decisão dos bancos que deixam de emprestar dinheiro com seis meses de carência sem saber se as lojas vão demorar três ou quatro meses para abrir”, diz ela.

Saiba mais sobre o e-commerce para expandir os negócios:
Experiência do cliente no delivery deve ser pensada de forma diferente
Da logística ao pagamento: empresas revelam ações para evitar contágio entre empregados e clientes
Ouça: mudança no hábito de consumo são propícios para a entrada de novos negócios no e-commerce

No podcast, Luiza fala que em algumas cidades a abertura das lojas é permitida, mas que antes de seguir essa norma, a empresa avalia qual o risco de vida para os funcionários. “É muito difícil para a pequena e para a grande empresa. Não tem mais fácil nesse momento. Não há diferença entre ter mil ou uma loja apenas se o empresário precisa da venda do dia para seu fluxo de caixa no outro dia. A questão é gerenciar de forma descentralizada para lidar com isso. O que estou pregando é que não é saúde ou economia. É saúde e economia”, defende a empresária.

O Magazine Luiza tem 1.100 lojas físicas em 18 Estados e, antes da pandemia, já tinha cerca de 60% das vendas feitas pela empresa no ambiente digital. Ainda assim, com a quarentena, a empresa criou o parceiro Magalu, voltado para o autônomo que quer ter uma renda extra e ao varejista com loja física que pretende aumentar as vendas. O projeto angariou até o momento 20 mil novos vendedores e 150 mil empreendedores individuais.

Ouça o podcast:

O conteúdo também está disponível aqui