Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

20/07/2015

Saiba como prevenir fraudes em pagamentos online

Efetuar compras em sites desconhecidos representa risco ao consumidor

Ajustar texto: A+A-

Saiba como prevenir fraudes em pagamentos online

Por Deisy de Assis

A praticidade que a internet proporciona, somada à necessidade de agilidade no cotidiano, eleva o número de compras e pagamentos online. Porém, crescem também os riscos de fraudes. Dentre os crimes eletrônicos mais comuns, estão o roubo de dados bancários, emissão de falsos boletos e, até mesmo, falsas lojas virtuais.

“O maior risco é com pagamentos com cartões de crédito, que podem ser clonados ou terem sido roubados de seu titulares”, explica o presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da FecomercioSP, Pedro Guasti.

Uma vez identificado o uso criminoso, o proprietário do cartão tem o direito de cancelar a compra. Caso o produto comprado já tenha sido entregue, o comerciante não tem direito ao ressarcimento do prejuízo. “Contratar empresas de serviço de tecnologia para classificação de risco nas transações comerciais é uma medida de segurança”, diz Guasti.

Proteção ao e-consumer

Para o consumidor, fazer compras com o cartão de crédito pode ser a alternativa mais indicada, justamente pela possibilidade de cancelamento do pagamento em casos de problemas, como a não entrega de um produto.

Mas a preservação de dados bancários exige cuidados. A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) orienta que não sejam usados computadores de terceiros, como lan houses e cybercafés, para essas transações.

“Esses equipamento nem sempre estão adequadamente protegidos e podem conter vírus ou programas que visam capturar suas informações”, afirma a assessora técnica do Procon-SP, Fátima Lemos.

A indicação é que seja utilizado apenas o computador pessoal e que o equipamento disponha de antivírus, com varreduras periódicas para verificar se o programa tem sido eficiente.

Segurança

Para evitar que pessoas mal intencionadas consigam acessar dados pessoais, endereços eventualmente fornecidos para entregas, números de telefones e de cartões, bem como senhas, o E-bit, empresa que avalia sites de e-commerce, indica que tais informações só sejam disponibilizadas a sites com endereço iniciado com a sigla “https”.

O Procon-SP alerta que a sigla deve estar acompanhada de um ícone em forma de cadeado colorido e fechado. “Clicando nesse cadeado deve aparecer o certificado de segurança do site”, frisa Fátima.

Pedro Guasti afirma que é preferível que as compras online sejam feitas apenas em lojas já conhecidas pelo consumidor ou, pelo menos, que haja uma indicação positiva desse e-commerce.

Este e outros assuntos relacionados à segurança nas redes serão temas das palestras do VII Congresso Fecomercio de Crimes Eletrônicos. Para obter conhecer os palestrantes e ter acesso à programação se inscreva aqui.