Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

13/05/2014

Stelo pretende tornar compras na web mais simples e seguras

Formada pela parceria entre Bradesco e Banco do Brasil, a nova empresa pretende revolucionar os meios eletrônicos de pagamentos e facilitar a vida de lojistas e consumidores

Ajustar texto: A+A-

Stelo pretende tornar compras na web mais simples e seguras

O Bradesco e o Banco do Brasil anunciaram em abril a união de forças para lançar a Stelo, uma nova empresa de meios eletrônicos de pagamentos. O objetivo é administrar, operar e explorar os segmentos de facilitadoras de pagamentos voltadas ao comércio eletrônico e negócios de carteira digital. Mais do que substituir outros meios de pagamento, a expectativa é ampliar o volume de transações no comércio eletrônico. A empresa promete facilitar a vida de consumidores e lojistas ao simplificar e tornar as compras online mais seguras. O modelo de negócio é a carteira digital, onde o usuário se cadastra apenas uma vez, inserindo seus dados pessoais e informações dos cartões (que podem ser de débito, crédito, pré-pagos e das mais variadas bandeiras), além de endereços para entrega.

Cada vez que comprar em uma loja virtual associada, o usuário informa apenas os dados de login cadastrados na Stelo. Ou seja, não precisará fazer nenhum outro cadastro nem informar os dados do cartão de crédito. “Mapeamos os gaps que limitam a expansão do comércio eletrônico para lojista e compradores”, relata Ronaldo Varela, diretor-presidente da Stelo. Segundo ele, a pesquisa apontou que quem não compra ou compra pouco pela internet reclamou da complexidade dos cadastros e da necessidade de fazer um novo cadastro a cada site, tem medo de fornecer os seus dados ou teme pela segurança do cartão. Para os lojistas, o problema é que o cliente acaba desistindo no meio do caminho devido ao processo “complicado”.

Outro problema são as fraudes. A aprovação geralmente depende do lojista, que acaba ficando com o prejuízo se o cartão é clonado. No novo modelo de negócio, a Stelo será responsável por filtrar e garantir a segurança das transações. “Reduz o custo da operação, aumenta a taxa de conversão de vendas e elimina o risco de perdas por fraude”, alega Varela. A Stelo também oferece ao lojista a antecipação de recebíveis. Pagando uma taxa, a loja recebe antecipadamente, de uma só vez, os valores pagos em parcelas pelos consumidores.

Período de teste
Desde o seu lançamento em abril, a Stelo está operando em fase experimental, com o objetivo de ajustar o sistema, conhecer melhor os usuários, controlar o volume de movimentações e testar os processos de autenticação. Esse estágio deverá durar mais 90 dias e alcançar gradualmente cerca de 200 mil usuários e 20 lojas de e-commerce. Por enquanto, já participam da fase-piloto Vila Romana, Gregory, Meu Amigo Pet, Anna Pegova e Giuliana Flores.

A ideia é atuar com grandes e médias empresas no primeiro ano de operação; a estimativa é ter 500 lojas na sua base. Em 2015, a plataforma terá como foco as pequenas empresas de e-commerce.  A expectativa é alcançar por volta de 10 mil lojas deste porte, que registram faturamento mensal de R$ 5 mil a R$ 50 mil. “São as pequenas que mais necessitam de suporte tecnológico e uma plataforma mais completa de serviços”, explica Varela. Para isso, a Stelo está cadastrando as empresas (de qualquer porte) interessadas em operar com o seu modelo de negócios. A ideia é integrá-las aos poucos, para que esteja tudo funcionando perfeitamente quando a operação começar oficialmente.

Segurança
De acordo com o executivo, o sistema de segurança da plataforma é “bastante complexo” e pode ser comparado ao utilizado por bancos. A plataforma é, inclusive, integrada com a do Bradesco e do Banco do Brasil, controladores da Stelo. “Autenticamos o cliente quando ele faz o cadastro. Quando ele abre a carteira digital, validamos tudo novamente e mais uma vez quando ele completa a transação”, explica o executivo. Por enquanto, na fase de testes, a carteira digital pode ser acessada somente via navegador em desktop, mas em breve será lançado um aplicativo que funcionará nos sistemas iOS, Android e Windows Phone.

Carteira digital
Na avaliação de Varela, os brasileiros conhecem pouco o conceito de carteira digital, que vem se expandindo nos últimos dois ou três anos pela Europa e Estados Unidos. Parte da estratégia de estímulo ao uso da carteira digital da Stelo será feita pelos bancos Bradesco e Banco do Brasil, que divulgarão para seus clientes de cartão de crédito “como a compra é segura utilizando a carteira Stelo”. “Nossos portais terão tutoriais ensinando o cliente a usar. Durante nossos estudos, todos que testaram a carteira digital foram unânimes ao afirmar que a usariam para fazer compras via internet”, conclui o diretor-presidente da Stelo.

Fechar (X)