Editorial

29/05/2019

“Terrenal” traz o conflito de Caim e Abel ao Teatro Raul Cortez

Reinterpretação tragicômica do mito bíblico fica em cartaz de 6 de junho a 25 de julho, às quintas-feiras

“Terrenal” traz o conflito de Caim e Abel ao Teatro Raul Cortez

"Terrenal" explora episódio bíblico de maneira tragicômica apontando desentendimentos da atualidade
(Arte: Tutu sobre foto de divulgação)

Uma das histórias mais famosas de todos os tempos chega ao palco do Teatro Raul Cortez, na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Terrenal – pequeno mistério ácrata reinterpreta de forma tragicômica o conflito bíblico entre os irmãos Caim e Abel. Em cartaz de 6 de junho a 25 de julho, a peça tem sessões às quintas-feiras, às 21h.

A montagem transporta o mito para um paraíso às avessas. Em um loteamento, Caim (Dagoberto Feliz) produz pimentões e vive apegado à terra e ao acúmulo de bens, enquanto Abel (Sergio Siviero) trabalha apenas aos domingos, o “dia santo”, vendendo iscas aos pescadores da região. Sem se entenderem, os irmãos não conseguem decidir sobre o que fazer com o terreno, até que Tata (Celso Frateschi), o pai que os abandonou ainda crianças, reaparece justamente na data que marca 20 anos de seu desaparecimento.

Veja também
Comédia “Loloucas” arranca elogios e risos durante estreia no Teatro Raul Cortez

Com recursos circenses e trilha sonora ao vivo, executada por Demian Pinto, o episódio do livro do Gênesis narra o fratricídio considerado o primeiro assassinato do mundo. A peça, no entanto, não se limita somente à busca pela preferência paternal, levantando também questões contemporâneas sobre justiça, divisão de riquezas e aceitação de visões de mundo distintas.

De autoria de Mauricio Kartun, considerado um dos mais importantes dramaturgos da Argentina e referência no teatro latino-americano, Terrenal sobe ao palco do Teatro Raul Cortez sob a direção de Marco Antonio Rodrigues. Desde a sua estreia em terras portenhas, em 2014, a peça já ganhou inúmeros prêmios, como os argentinos Prêmio de Crítica da Feira do Livro e Prêmio da Associação de Cronistas de Espetáculos, e levou mais de 65 mil pessoas ao teatro.

A peça tem duração aproximada de 90 minutos. A classificação é 16 anos. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ou pelo site Ingresso Rápido.

Serviço
Temporada: de 6 de junho a 25 de julho.
Quintas-feiras, às 21h.
Teatro Raul Cortez – Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista, São Paulo (SP).