Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Conselho de Turismo

27/07/2020

Empresário que vai sofrer com o cancelamento de grandes eventos deve investir em produtos para festas particulares

Conselho de Turismo da FecomercioSP leva em consideração o prejuízo com os cancelamentos da Fórmula 1 deste ano e da tradicional festa de réveillon da Avenida Paulista

Ajustar texto: A+A-

Empresário que vai sofrer com o cancelamento de grandes eventos deve investir em produtos para festas particulares

Apesar da mudança no calendário, a Federação aponta que os setores de vestuário e acessórios, o de decoração e os supermercados, podem focar nas comemorações mais compactas e particulares
(Arte: TUTU)

Os negócios diretamente relacionados ao turismo na capital paulista vão sofrer prejuízo com os cancelamentos da Formula 1 deste ano e da tradicional festa de réveillon da Avenida Paulista – este um dos maiores eventos da cidade. Os dois foram desmarcados como forma de impedir o avanço do novo coronavírus, pois os encontros geram grande aglomeração de público.

Na visão do Conselho do Turismo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), mesmo com a existência de protocolos de distanciamento e de higienização para evitar a contaminação, é compreensível a decisão de cancelar o réveillon que na edição mais recente recebeu um milhão de pessoas para assistir aos shows e a queima de fogos de artifício.

Saiba mais sobre o setor:
Demora na tramitação da MP sobre remarcações e cancelamentos preocupa empresas de turismo
Veto presidencial à redução de alíquota de IR sobre remessa ao exterior preocupa setor de turismo
Turismo brasileiro tem prejuízo de R$ 6,76 bilhões em abril

A dificuldade para a economia é que este evento que movimentou no ano passado R$ 650 milhões, segundo dados do Observatório do Turismo de São Paulo, não será remarcado e, portanto, o empresário terá de se adaptar para as novas necessidades dos clientes.

Nesse sentido, a Entidade aponta que os setores de vestuário e acessórios, o de decoração e os supermercados, podem manter a estratégia de adquirir estoque para as pessoas que farão comemorações mais compactas e particulares. A orientação é usar o momento como uma oportunidade para aqueles que quiserem vender serviços completos de decoração, roupas, comidas e bebidas para festas menores.

Pensando exclusivamente na cadeia de serviços de turismo, o impacto do cancelamento da Formula 1 é maior porque o setor deixará de receber 115 mil turistas para assistir o evento ao longo de sexta a domingo, que gastariam com hospedagem, alimentação, transportes, etc.

Orientações para o turismo
Apesar do aviso dos cancelamentos dos eventos ser recente, o turismo já se adapta as necessidades da situação desde o início da pandemia. O tema foi debatido no webinário, Inspirações, Perspectivas e Tendências – O Novo Turismo, no último dia 16.

Nele, a presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP, Mariana Aldrigui, e o diretor-presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), Bruno Giovanni, deram dicas e orientações para ajudar o empresário do setor de turismo a manter seu público, além de apresentar recursos que as empresas podem usar para se adaptarem à nova realidade pós-coronavírus.

Em outro encontro online, três especialistas analisaram o retorno dos eventos presenciais, as vantagens dos eventos híbridos e os pontos estratégicos de atenção dos empresários neste período, além de traçar um panorama do momento atual. Para saber sobre o conteúdo compartilhado pela Mariana Aldrigui, o head of legal, compliance e relações governamentais da Sympla, João de Castro, e o diretor-geral da B4Tcomm, Alberto Martins, cadastre-se aqui.

Saiba mais sobre o Conselho de Turismo