Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Imprensa

12/01/2015

Confiança do empresário do comércio cai 1,5% em dezembro

Ajustar texto: A+A-

São Paulo, 13 de janeiro de 2015 - O Índice de Confiança do Empresário do Comércio no Município de São Paulo (ICEC) somou 102 pontos em dezembro, queda de 1,5% em relação ao mês anterior, quando chegou aos 103,6 pontos. Na comparação anual, o recuo foi de 14,4%. O indicador, que varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total), é medido mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Os três quesitos que compõem o indicador registraram queda de confiança. O índice que apura as Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC) caiu 1%, ao passar de 68,6 pontos em novembro para 67,9 pontos em dezembro. A avaliação sobre as condições atuais da economia teve leve alta de 0,4%, ao passar de 50,6 pontos em novembro para 50,8 pontos em dezembro, enquanto as opiniões sobre o setor e a própria empresa recuaram 2,8% e 0,6% respectivamente.

Já o índice que mede as expectativas do empresário (IEEC) em relação aos próximos meses piorou 2,1%, em razão do menor otimismo em relação ao futuro da economia (-3,1%) e do setor (-2,1%). A confiança em relação ao futuro do  próprio negócio também recuou 1,3%. As intenções de investimentos (IIEC) também caíram (1%), já que os empresários esperam contratar menos (-1,3%) e investir menos na empresa (-1,9%).

Na análise da FecomercioSP por porte, a confiança dos grandes empresários voltou a superar a dos pequenos, mas ainda estão muito abaixo do desempenho e não há projeção de retomada de crescimento. As empresas com mais de 50 empregados mostraram recuperação de 4,5%. Já as empresas de menor porte, com menos de 50 empregados, mantiveram o ritmo de queda com 1,7%.

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, o melhor desempenho das empresas de grande porte pode ser explicada pela sua maior capacidade de atrair consumidores, os quais receberam o 13º no mês de dezembro e pela base fraca de comparação já que foram as empresas de grande porte que registraram as maiores quedas na confiança ao longo de 2014.

Nota metodológica
O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) contempla as percepções do setor em relação ao seu segmento, à sua empresa e à economia do País. São entrevistas com 600 empresários na capital, em painel fixo de empresas, com amostragem segmentada por setor (não duráveis, semiduráveis e duráveis) e por porte de empresa (até 50 empregados e mais de 50 empregados). As questões agrupadas formam o ICEC, que por sua vez pode ser decomposto em outros subíndices que avaliam as perspectivas futuras, a avaliação presente e as estratégias dos empresários mediante o cenário econômico. A pesquisa é referente ao município de São Paulo, mas sua base amostral reflete o cenário da região metropolitana.