Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

18/08/2020

Descontos efetivos e progressivos podem ajudar vendas na Semana do Brasil

FecomercioSP recomenda que empresário estimule, durante o evento, a compra de mais de um produto para amenizar os prejuízos da pandemia

Ajustar texto: A+A-

Descontos efetivos e progressivos podem ajudar vendas na Semana do Brasil

Consumidor pode fazer uso das últimas parcelas do auxílio emergencial para adquirir novos produtos
(Arte: TUTU)

Chamar a atenção do comprador sempre foi papel do comércio, mas a busca por atrair clientes em meio à pandemia de covid-19 pode determinar a continuidade do negócio. Em razão dessa situação, marcada pela insegurança do consumidor, pelo aumento do desemprego e pela redução na renda das famílias, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) recomenda que o lojista ofereça descontos efetivos e progressivos na segunda edição da Semana do Brasil, que ocorrerá entre os dias 3 e 13 de setembro.

Como os consumidores estão cada vez mais conectados à internet e atentos aos preços oferecidos no mercado, a orientação é promover descontos progressivos para estimular a compra de mais de um produto – como o segundo com 20%, o terceiro com 30% e assim por diante.

Saiba mais sobre a pandemia e como lidar com os consumidores nesse momento:
Valor do auxílio emergencial impacta positivamente o varejo brasileiro durante pandemia
Clientes perdem medo de meios de pagamento digitais e do cashback
Consumo das gerações: a construção do perfil do cliente

Além disso, é recomendável disponibilizar formas de pagamentos facilitadas, como transferência por aplicativo com um desconto a mais, entrega em domicílio para clientes que residam relativamente próximo ao estabelecimento, entre outros benefícios.

Para a FecomercioSP, a Semana do Brasil pode contribuir para amortecer os prejuízos do comércio em meio à crise econômica gerada pela pandemia, uma vez que o consumidor pode fazer uso das últimas parcelas do auxílio emergencial como forma de pagamento – benefício que o governo concedeu às pessoas de faixa de renda mais baixa.

Outra possibilidade para empresários que efetuarem vendas satisfatórias durante o evento é a de reduzir o estoque remanescente e abrir espaço para a renovação desse estoque para as compras de fim de ano.

A Entidade ainda frisa que falta apenas um mês para a Semana do Brasil e é importante planejar o quanto antes a programação de vendas, a comunicação, a precificação, etc., sem esquecer das promoções da Black Friday, em novembro, e do Natal, que ainda estão para acontecer.

Resultados em 2019

A primeira edição da Semana Brasil, em 2019, registrou alta de 5,5% nas vendas do comércio no Estado de São Paulo no mês de setembro, segundo levantamento da FecomercioSP.

O segmento de eletrodoméstico, eletrônicos e lojas de departamentos apontou elevação de 12,4%, em comparação ao mesmo período de 2018; e crescimento de 3,5% em relação ao mês anterior. O comércio eletrônico seguiu a mesma linha e registrou aumento de 30% nas vendas em setembro de 2019.