Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

17/03/2021

Dicas para uma melhor administração do caixa em 2021

Orientações da FecomercioSP são para o empresário gerenciar as finanças da empresa neste início de ano

Ajustar texto: A+A-

Ouvir Texto:

00:00 00:10
Dicas para uma melhor administração do caixa em 2021

Orientações são para uma administração bem-sucedida, não somente em períodos de crise
(Arte: TUTU)

A administração do caixa da empresa está ainda mais difícil neste ano em razão da imprevisibilidade na economia decorrente da pandemia de covid-19 e do fim da carência dos empréstimos contraídos ao longo do ano passado – de linhas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), etc.

Assim, na tentativa de auxiliar os micros e os pequenos empresários com dificuldades financeiras e com restrições de atendimento presencial nos estabelecimentos, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) preparou algumas dicas simples de como gerenciar as finanças da empresa nesse início de 2021.

Fique por dentro de outras dicas úteis para o empresário
Seis erros comuns no fluxo de caixa que afetam o dinheiro da sua empresa
Reduza os danos da crise de coronavírus com uma gestão de custos eficiente
Saiba como gerir os negócios e contrair empréstimos para atenuar a crise causada pelo coronavírus

Nunca misturar as contas e patrimônio pessoais com os da empresa

Dica essencial para uma administração bem-sucedida, não somente em períodos de crise, mas que deve ser praticada sempre. Além de influenciar negativamente os resultados da empresa, a não separação das contas pessoais indica uma má gestão financeira e afeta a confiabilidade das informações prestadas. Esses fatores podem prejudicar a empresa em uma solicitação de empréstimo, por exemplo.

Faça projeções e planeje-se para diferentes cenários

Por causa do cenário em situação de pandemia, faça projeções e defina ações para pelo menos três cenários diferentes: otimista, realista e pessimista. Considere fatores como vacinação, reabertura definitiva das atividades, ambiente econômico e político, entre outros que afetem a operação da empresa.

Gestão de custos e estoques

Muitos já fizeram essa lição de casa no ano passado, mas essa é uma tarefa ininterrupta. Ter um quadro completo sobre os custos – aluguel, energia elétrica, segurança, limpeza, funcionários, etc. – vai te ajudar a identificar desperdícios e possíveis fontes de economia. A formação dos estoques também é fundamental para que se evite perdas e comprometimento do capital financeiro. Não deixe de ouvir seus funcionários/vendedores sobre as preferências recentes dos consumidores.

Reforce o caixa

Parece uma dica óbvia, mas para as empresas com dinheiro em caixa, mantenha o capital investido em ativos líquidos. Para os que já possuíam empréstimos, é o momento de aproveitar as taxas de juros mais baixas para renegociar, alongar o prazo de pagamento ou conseguir um capital novo. Esteja sempre atento às taxas cobradas e se o fluxo de caixa da empresa comporta a prestação. Algumas linhas de crédito emergencial criadas pelo governo foram encerradas em 31 de dezembro, mas é importante ficar atento a novas medidas de resgate às empresas.

Tenha controle sobre o fluxo de caixa

Seguindo as dicas anteriores, você terá maior facilidade em montar o seu fluxo de caixa, considerando os diferentes cenários traçados. Ter uma visão completa sobre as receitas, as despesas e as custos da empresa, sabendo o custo mínimo para manter-se funcionando vai facilitar a tomada de decisão. A FecomercioSP disponibiliza uma planilha modelo de fluxo de caixa que pode ajudar. Basta preencher o formulário no fim da matéria.

Busque novas fontes de receita

A criatividade e a inovação foram as chaves para a sobrevivência das empresas que buscaram outras formas de conseguir receita. O comércio eletrônico, as vendas pelas redes sociais, os serviços de delivery e o modelo “compre e retire” são os mais conhecidos, mas alguns empresários foram além e os exemplos são variados. Teve loja de roupas que disponibilizou malas com roupas para as clientes levarem para casa e provarem as peças com tranquilidade, hostel utilizando o espaço em que ficava o bar para vender açaí e outras frutas, bares e restaurantes emitindo vale-compra com desconto para consumo futuro, entre outros.

Faça uma renegociação com os inadimplentes

Se a sua empresa concede crédito ao consumidor ou vende fiado, busque os clientes inadimplentes e renegocie os termos da dívida. Neste momento de crise, ser flexível na negociação e fazer algum tipo de concessão pode beneficiar os dois lados.