Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Economia

27/08/2018

Estratégias de investimento se diversificam com cenário eleitoral incerto

FecomercioSP apresenta dicas para lidar com a volatilidade do mercado financeiro

Ajustar texto: A+A-

Estratégias de investimento se diversificam com cenário eleitoral incerto

Indefinição sobre os rumos da economia pode se estender até o primeiro trimestre de 2019
(Arte/Tutu)

A incerteza que caracteriza o quadro eleitoral deste ano dificulta as decisões de investimento. O cenário apresenta propostas de governo muito distintas – desde “reestatizar” empresas, passando por revogar a Reforma Trabalhista, até acelerar o processo de privatização e propor novas reformas de âmbito fiscal –, mas sem apontar um favorito.

A indefinição a respeito dos rumos da economia brasileira deve se dissipar somente algumas semanas após a eleição, quando o candidato vitorioso apresentar, de fato, o seu projeto.

Veja também
Estratégia mais importante para o aplicador é se manter informado
Alta dos juros de longo prazo favorece aplicações na bolsa e em renda fixa
Incerteza eleitoral faz renda fixa ser boa opção para investidor cauteloso

Dessa forma, concluído o pleito, o investidor ainda deve ficar atento a alguns eventos: nos meses de novembro e dezembro, o presidente eleito deve apresentar seu plano de governo; e, no primeiro trimestre de 2019, encaminhar propostas e tentar construir uma base de apoio no Congresso Nacional, de modo que possa viabilizar o caminho para aprovação dos projetos.

De qualquer modo, o investidor tem de lidar com a incerteza sobre o mercado financeiro até esse processo se concluir. Com isso, para ajudar na tomada de decisão, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apresenta estratégias para diferentes perfis de investidor:

• Conservador não familiarizado com o mercado: renda fixa é a melhor alternativa. Recomenda-se aplicar em CDBs ou CDIs de grandes bancos com liquidez diária;

• Desconhece o mercado, mas não é conservador: bancos e butiques de investimentos têm diversos fundos que misturam renda fixa, renda variável e papéis vinculados ao mercado imobiliário ou ao mercado agrícola;

• Conservador familiarizado com o mercado: pode montar a sua própria carteira diversificada, contendo ações e parcelas de renda fixa. Nesse caso, deve-se ficar atento para poder agir rapidamente;

• Ousado familiarizado com o mercado: a volatilidade aumenta em momentos de crise e incerteza, o que eleva os riscos, mas gera oportunidades. Esse período serve para rever a carteira de ativos (ações e opções). Recomendado para quem atua constantemente na gestão do portfólio.

Esse é um quadro simplificado dos perfis de investidores mais comuns. Além disso, vale buscar o auxílio de um especialista em bancos e financeiras ou na FecomercioSP para ter um direcionamento do mercado.