Negócios

02/07/2019

Falta de troco: confira dicas de como evitar esse problema na sua loja

FecomercioSP recomenda que comerciantes organizem o fluxo de caixa, praticando algumas técnicas de gestão financeira

Falta de troco: confira dicas de como evitar esse problema na sua loja

O comerciante pode oferecer descontos ou produtos para quem paga com dinheiro físico em vez de utilizar o cartão
(Arte:Tutu)

A falta de circulação de moedas na economia afeta, de modo geral, a todos os negócios – desde o transporte público até os grandes supermercados. Mas também prejudica o pequeno empresário, que, por falta de troco, pode comprometer a confiança por parte dos consumidores, que não saem felizes da loja quando não recebem o troco correto.

Atualmente, são 26,5 bilhões de moedas em posse do Poder Público, da rede bancária e das pessoas, segundo o Banco Central. São, ao todo, R$ 6,85 bilhões que não estão circulando. Segundo o órgão, aproximadamente um terço das moedas emitidas desde 1994 está fora de circulação. Além disso, a crise econômica dos últimos anos, com aumento da principal taxa de juros para derrubar a inflação, reduziu a produção de moedas.

As pessoas estão andando com menos dinheiro na carteira. Isso acompanha o aumento do uso dos cartões para pagamentos. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), em 2009, o porcentual de compras feitas com cartão era de 19,5% – em 2018, chegou a 41,5%.

Veja também:
Planejamento de vendas melhora a rentabilidade das empresas
Simples Trabalhista deve estimular contratação de novos trabalhadores em pequenas empresas e reanimar economia
Micros e pequenas empresas terão acesso a módulo simplificado do eSocial

Por causa do aumento na utilização dos cartões, os comércios conseguem ter certa desenvoltura, então, os prejuízos pela falta de troco podem ser contornados. Mas, ainda assim, é essencial que o comerciante se previna quanto a esse problema nos estabelecimentos, pois a falta de moedas tem impacto direto no resultado do negócio, como a flexibilidade para trocos, a agilidade no caixa e a confiança dos clientes. Em locais com grande concorrência, esses detalhes fazem diferença para o consumidor.

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) enfatiza que, infelizmente, não há muito o que se possa fazer para trazer um volume grande de moedas de volta à economia – geralmente, as que as pessoas deixam paradas nas gavetas, nas bolsas ou nas mochilas. Apesar disso, a Entidade passa alguns conselhos aos empresários.

A primeira dica da FecomercioSP é que o comerciante deve organizar o fluxo de caixa, praticando algumas técnicas de gestão financeira que permitam observar a movimentação dos recursos do empreendimento. Confira mais detalhes em relação a esse ponto.

Além disso, o comerciante pode oferecer descontos ou produtos para quem paga com dinheiro físico em vez de utilizar o cartão. Há supermercados, por exemplo, que premiam os clientes que pagam as compras de valor alto com moedas, entregando a eles um kit contendo itens de higiene ou produtos alimentícios.

A Federação também recomenda que o empresário busque interagir com outros comerciantes e lojistas da mesma região, já que essa integração pode facilitar a movimentação de moedas. Ainda é essencial que o lojista lembre os clientes da importância de colocar as moedas em circulação, tanto para as lojas locais quanto para a economia. Ele pode fazer isso por meio de cartazes pela loja ou no caixa, por exemplo, ou conversando diretamente com os consumidores no estabelecimento. A FecomercioSP elaborou um vídeo especial sobre isso, além de um amplo conteúdo sobre diversos temas de gestão empresarial. Clique aqui para saber mais.

O Banco Central, em sua página na internet, divulga dicas para que o comerciante consiga moedas por meio do sistema bancário, tal como “registrar pedido à gerência da agência ou serviço de atendimento ao cliente do banco onde tem conta”.

O portal do órgão ainda divulga vários endereços pelo País onde mantém guichês para fornecimento de troco. As pessoas físicas podem solicitar, em horário de expediente bancário, moedas ou notas (de R$ 2 e R$ 5), limitadas a cem unidades cada. Confira os endereços referentes ao Estado de São Paulo:

São Paulo

Rua São Bento 483 – Centro

Araçatuba

Pça. Rui Barbosa, 322 – Centro

Bauru

Rua Primeiro de Agosto, 7-63 – Centro

Botucatu

Pça. Emílio Peduti, 17 – Centro

Campinas

Av. Gov. Pedro de Toledo, 1.101 – Bonfim

Franca

Rua Maj. Claudiano, 2.012 – Centro

Ourinhos

Rua Antônio Carlos Mori, 530 – Centro

Itapeva

Pça. Anchieta, 52 – Centro

Presidente Prudente

Rua Ten. Nicolau Maffei, 307, Calçadão – Centro

Ribeirão Preto

Rua Duque De Caxias, 725 – Centro

Santos

Rua Quinze De Novembro, 195 – Centro

São José do Rio Preto

Rua Vol. De São Paulo, 2.975 – Centro

São José dos Campos

Av. Dr. Nelson D'ávila, 149 – Centro

Sorocaba

Rua Quinze De Novembro, 191 – Centro