Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

27/08/2021

FecomercioSP apoia ONG que viabiliza projetos de impacto social em periferias e favelas do Brasil

Pequenas e médias empresas podem contribuir com uma doação e participar do programa que cria networking em encontros virtuais

Ajustar texto: A+A-

FecomercioSP apoia ONG que viabiliza projetos de impacto social em periferias e favelas do Brasil

Primeira janela de aquisição para os interessados será fechada até a primeira quinzena de setembro
(Arte: TUTU)

Apesar de uma única pessoa ter poder de influência para promover mudanças, uma rede tem mais chances de alcançar tal objetivo. Por isso, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apoia a proposta da Rede Gerando Falcões (GF), que lançou a Fal.co – Companhia de Sócios Sociais.

O programa viabiliza projetos de impacto social em periferias e favelas do Brasil, ao mobilizar executivos e profissionais em torno de uma agenda de troca de experiências e debates sobre os caminhos do desenvolvimento social.

Veja também
Adotar ações nos âmbitos ambiental, social e de governança beneficia os negócios e a sociedade
Empresa tem o papel de ser agente de transformação social, diz Guilherme Leal
Empreendedorismo social com padrão corporativo atrai investidores

Por meio de uma colaboração anual, os participantes terão acesso a uma série de encontros bimestrais envolvendo o conselho da GF (formado por empresários e empresárias de diversos segmentos do mercado), nos quais poderão discutir ações sociais e iniciativas de impacto, além de ampliar o networking com outros executivos. Com este valor, estarão fortalecendo a atuação de diversas lideranças sociais e, assim, poderão usar o selo GF, agregando valor ao negócio.

A primeira janela de aquisição para os interessados será fechada até a primeira quinzena de setembro. Posteriormente, serão abertas outras janelas. De início, serão estipulados períodos de entrada no programa, mas a ideia é que a Fal.co seja uma ação contínua. O programa tem a meta de impactar 2.989 favelas até 2023.

“Temos uma captação consolidada com grandes empresas e sabemos do potencial das PMEs [Pequenas e Médias Empresas] para colaborar com o terceiro setor. Aqueles que participarem vão contribuir para projetos de Organizações Não Governamentais (ONGs) apoiadas pela Rede Gerando Falcões. A primeira formação do programa tem como objetivo o empreendedorismo nas favelas, e toda a verba mobilizada será destinada a editais voltados a projetos da nossa rede”, explica Bruno Sousa, da equipe Fal.co.

Saiba como participar do programa aqui.