Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Legislação

20/03/2020

FecomercioSP propõe ampliação de crédito a empresas com condições especiais de pagamento

Medidas foram encaminhadas às esferas federal e estadual em dois ofícios, que também abrangem diversos outros pleitos setoriais

Ajustar texto: A+A-

FecomercioSP propõe ampliação de crédito a empresas com condições especiais de pagamento

Ao estado, A FecomercioSP pleiteia políticas mais agressivas e eficazes na utilização do Banco do Povo Paulista e do DesenvolveSP
(Arte: TUTU)

Os documentos encaminhados em 18 de março tanto ao governo federal como  ao estadual de São Paulo, pela FecomercioSP, englobam algumas propostas relativas à liberação e à facilitação de crédito em bancos para empresas. O objetivo é a redução do impacto do coronavírus sobre as atividades produtivas. Confira a seguir.

Medidas em âmbito federal

A Federação sugere a criação de linhas de crédito do BNDES, do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal em condições diferenciadas, como juros menores, carência de seis meses para início de pagamento e 24 meses para quitação. Isso deve valer para bares, restaurantes e hotéis e para as micros e as pequenas empresas enquadradas no regime do Simples Nacional.

Propõe também a criação de uma linha especial e simplificada de crédito pelo BNDES, Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal – dirigida exclusivamente às empresas de pequeno e médio porte em função do capital de giro, com as mesmas condições descritas acima.

Veja também:

Pequenas empresas são as mais impactadas com avanço do coronavírus
Coronavírus: queda no fluxo de pessoas em centros comerciais e restrição de viagens afetam empresas de médio porte
Antecipação do 13º deve atenuar ambiente para o comércio paulista, mas não vai impedir queda nas vendas, diz FecomercioSP

Medidas em âmbito estadual

Ao estado, A FecomercioSP pleiteia políticas mais agressivas e eficazes na utilização do Banco do Povo Paulista e do DesenvolveSP – para ampliação e criação de linhas de crédito com condições especiais voltadas às necessidades das empresas dos setores do comércio, serviços e turismo.

Em relação ao DesenvolveSP, a Entidade propõe a redução da taxa de juros para capital de giro em 1,0% ao mês, com aumento do prazo de financiamento para 48 meses, e carência de um ano. Também solicita o mesmo prazo para o crédito relacionado a projetos de investimento.

Ao Banco do Povo, pede a extensão do prazo de pagamento dos microcréditos para 48 meses (incluídos os 120 dias de carência), além de se elevar a R$ 5 mil a concessão de crédito sem avalista.

Além disso, pede mudanças temporárias no Fungetur, que se trata de uma linha de financiamento destinada a micros, pequenas e médias empresas. Em relação aos contratos de financiamento firmados entre março e agosto de 2020:

• taxa de juros: 0,49% ao mês;
• prazo: 48 meses;
• carência: 9 meses;
• permitir que o crédito seja utilizado para projetos de investimento e financiamento de capital de giro, não sendo obrigatório o uso exclusivo em obras civis neste período.

Um ofício também foi encaminhado no dia 18 de março à prefeitura de São Paulo sugerindo a ampliação do prazo de pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e do Imposto Sobre Serviços (ISS) na capital, entre outros pleitos.

Conheça todos os pleitos da FecomercioSP aqui.