Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Economia

18/07/2018

Índices econômicos mostram o impacto da alta dos preços no consumo das famílias; entenda

FecomercioSP adianta que preço dos alimentos deve se elevar de forma significativa, o que pode onerar de forma mais severa as classes com menor rendimento mensal

Ajustar texto: A+A-

Índices econômicos mostram o impacto da alta dos preços no consumo das famílias; entenda

Pesquisa da Entidade detalha quais são os principais gastos por classes de renda
(Arte: TUTU)

A evolução dos preços dos produtos e dos serviços costuma prejudicar o orçamento mensal de diversas famílias brasileiras. Com o intuito de prever os impactos de consumo de cada faixa de rendimento, alguns indicadores econômicos analisam essas informações por estrato de renda.

É o caso do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que considera as famílias com um a 40 salários mínimos. Outra variável que verifica o impacto da elevação dos preços em São Paulo é o Custo de Vida por Classe Social (CVCS), desenvolvido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que examina famílias de um a 20 salários mínimos.

Veja também
Incerteza eleitoral e déficit fiscal pressionam a desvalorização do real em 2018
Empresas mais cautelosas contraem menos crédito apesar da queda dos juros

Com a pesquisa da Entidade, por exemplo, é possível identificar que as classes com mais rendimento tendem a destinar uma parte menor dos ganhos para produtos e uma maior para serviços, porque têm a possibilidade de gastar de forma mais bem distribuída, ao passo que as classes com menos rendimento tendem a destinar tudo para a aquisição de produtos, especialmente bens essenciais.

Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, os preços dos alimentos vão se elevar de forma significativa, o que pode onerar de forma mais severa as classes de renda com menos rendimento mensal. Além disso, estão previstas altas no segmento de transporte e de habitação – em decorrência do aumento tarifário na energia elétrica, o que deve impactar todas as classes de renda.

Confira mais detalhes sobre o efeito da alta de preços nas classes de renda: