Economia

17/03/2014

Interesse em crédito entre os paulistanos avança 8,3%

O aumento da sensação de segurança financeira contribuiu para elevação de índice de intenção de financiamento entre janeiro e fevereiro

São Paulo, 18 de março de 2014 - Após subir 2,9% no primeiro mês do ano, o interesse dos paulistanos pela contratação de linhas de crédito voltou a crescer em fevereiro, dessa vez, de 8,3%. De acordo com a Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o expressivo aumento decorreu principalmente da melhoria da segurança de crédito, que avançou 13,7%.Os números também foram positivos no comparativo anual, com incremento de 18% no indicador de desejo de novos financiamentos, entre fevereiro de 2014 e o mesmo mês do ano anterior. Nesse caso, o índice de segurança financeira foi ampliado em 13,4%.
 
Segundo a área econômica da Federação, entre as possíveis causas para um quadro um pouco mais otimista em relação ao interesse em crédito pelos paulistanos está o reajuste do salário mínimo, que impacta positivamente algumas perspectivas financeiras para o início de ano. Outra justificativa provável é a de que muitas compras de Natal, parceladas em duas ou três vezes, já foram pagas.
 
Além disso, contribuiu para a alta da sensação de segurança de crédito, o aumento nos dois primeiros meses de 2014, de 5,3 pontos porcentuais no número de pessoas com alguma aplicação, chegando a 43,7% do total. A maior parte dessas aplicações é formada por cadernetas de poupança (76%), fundos de renda fixa (11,8%) e previdência privada (5,4%).
 
Essa melhoria na sensação de segurança de crédito aconteceu tanto entre as pessoas endividadas - 5,2% no comparativo mensal e 8,8% na análise anual - quanto entre os paulistanos sem dívidas, cuja variação foi idêntica nos dois períodos: de 16,7%.
 
Apesar dos resultados, na avaliação da área econômica da FecomercioSP, não é possível concluir que eles terão força suficiente para frear o mau humor dos mercados financeiros, favorecendo na redução do pessimismo de momento.
 
Sobre a PRIE
A Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), apurada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), tem o objetivo de acompanhar o interesse dos paulistanos em contrair crédito e a evolução da proporção de famílias endividadas na capital paulista que possuam aplicações financeiras, gerando um índice de risco inerente a essas operações. Os dados que compõem a PRIE são coletados em 2,2 mil entrevistas mensais realizadas na cidade de São Paulo.