Negócios

28/08/2017

Mogi das Cruzes e Tupã são destaques da revista “C&S”

Reportagens especiais fazem parte da série “Interior de São Paulo: Gigante do Comércio Brasileiro”

Mogi das Cruzes e Tupã são destaques da revista “C&S”

Já está disponível para leitura a edição de setembro e outubro da revista Comércio & Serviços, editada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A publicação é uma junção da revista C&S com a revista Conselhos.

Nessa edição, a C&S dá continuidade à série “Interior de São Paulo: Gigante do Comércio Brasileiro”. Depois da região de Campinas, abordada na primeira reportagem do especial, agora é a vez de Tupã e Mogi das Cruzes serem exploradas em detalhe pela publicação. O interior de São Paulo, sob a ótica do setor de comércio e serviços, responde por 33% de tudo o que se produz na economia nacional, segundo a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

Veja também
FecomercioSP lança série “Interior de São Paulo: O Gigante do Comércio Brasileiro”, com dados de cada região do Estado
Liberdade de diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público é uma evolução para o mercado, aponta FecomercioSP
Setor de marcas próprias oferece oportunidade de negócios

Além da matéria publicada na revista, um conteúdo multimídia composto por dados econômicos pode ser acessado aqui no Portal da FecomercioSP.

A segunda edição da série sobre o interior paulista é protagonizada por duas cidades: Tupã e Mogi das Cruzes. A primeira, além da força do comércio, destaca-se pela agricultura e pecuária, especialmente na produção do amendoim. O município, que está na maior região produtora do legume no Estado, produz cerca de 20 mil toneladas do produto ao ano. Já as exportações desse item geram resultados expressivos na balança comercial e na economia da cidade, por meio das indústrias de processamento.

Mogi das Cruzes, por outro lado, chama a atenção por seus expressivos índices econômicos (a cidade representa 0,719% do PIB de São Paulo) e de qualidade de vida. Conhecido por fazer parte do Cinturão Verde do Estado, o município tem crescente atuação de empreendedores de micros e pequenos negócios: segundo dados da prefeitura, somente nos últimos três anos houve um aumento de cerca de 20% na quantidade de indústrias na cidade (de 794 para 991), de 25% no número de estabelecimentos comerciais (de 8827 para 9568) e de 8% nas empresas de serviços (de 20850 para 22722).

Confira a edição completa da revista aqui.