Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

02/07/2021

O futuro da indústria de eventos em debate

Revista “C&S” de julho/agosto destaca os rumos do setor e detalha como deve ser a adaptação do negócio aos formatos virtuais

Ajustar texto: A+A-

O futuro da indústria de eventos em debate

Outro destaque é a entrevista com Andries Oudshoorn, CEO da OLX Brasil
(Arte: TUTU)

Os reflexos da pandemia no setor de eventos e turismo e como será o futuro desta indústria são temas de capa da revista Comércio & Serviços de julho e agosto. Esses negócios descobriram que o modelo digital pode ser lucrativo e permanente, pois multiplica as possibilidades de reunir pessoas.

A edição, de número 71, traz ainda o artigo “Abertura de capital para médias e pequenas empresas”, assinado por Bruno Sbano, head of Equity Capital Markets do banco ABC Brasil. No texto, ele explica quais as vantagens para uma empresa de médio porte abrir o capital e em quais situações isto é possível ou conveniente.

Leia mais sobre o setor de turismo
Turismo deve intensificar comunicação de protocolos de higiene e saúde para elevar confiança do turista
Nova lei em vigor prorroga até o fim do ano as regras de reembolso e remarcação de voos
Eventos-teste em São Paulo serão fundamentais para retomada do setor, avalia FecomercioSP

Outro destaque é a entrevista com Andries Oudshoorn, CEO da OLX Brasil, empresa global com sede na Holanda, presente em território nacional há dez anos. Na conversa, ele conta como a empresa se tornou uma das maiores plataformas de compra e venda do País, além de como cresceu na pandemia.

Ainda na área de comércio eletrônico, a publicação detalha como deve ser um site móvel eficiente. O texto apresenta dicas de Katia Santos, proprietária de duas franquias da marca de roupas Malwee no Estado de São Paulo; do francês Laurent Benhamou, diretor-executivo da rede Sushi Chic, restaurante japonês que nasceu exclusivamente para delivery em 2015 e tem dez unidades no Brasil; e de Jessica Vachelli da Silva, diretora de TI da Flores Online.

Além da forma de adaptar a loja para as telas de celular, o leitor fica sabendo sobre os fatores que precisam ser analisados para ter um bom serviço de entrega. Confere, ainda, a sondagem feita pela FecomercioSP que mostra como a população pretende mudar os padrões de consumo após a crise e a ampla vacinação.

Na área trabalhista, a edição aponta que as mudanças nas relações laborais durante a pandemia podem ser consultadas em um e-book preparado especialmente para o empresário. Baixe o material após breve cadastro.

A C&S é produzida e editada bimestralmente pela FecomercioSP. O conteúdo é exclusivo para associados. Cadastre-se aqui para ter acesso à publicação.