Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

26/05/2021

Eventos-teste em São Paulo serão fundamentais para retomada do setor, avalia FecomercioSP

Entidade reforça, ao governo paulista, apoio à iniciativa com potencial para impedir desestruturação do setor

Ajustar texto: A+A-

Eventos-teste em São Paulo serão fundamentais para retomada do setor, avalia FecomercioSP

Eventos com capacidade reduzida são testados para retomada do setor em São Paulo, com protocolos
(Arte: TUTU)

A autorização para realizar eventos-piloto a partir de 15 de junho, prevista no Plano São Paulo, pode marcar a retomada gradual das empresas do segmento do turismo, que registram prejuízos contínuos desde o início da pandemia de covid-19. A FecomercioSP, entidade empresarial líder do sistema sindical de comércio de bens, de serviços e de turismo paulista, tem articulado a favor da flexibilização das atividades econômicas no Estado e apoia a iniciativa, que tem potencial para impedir uma maior desestruturação do setor como um todo.

Os detalhes da permissão, divulgados nesta quarta-feira (26) durante a coletiva de imprensa do governo paulista, prevê a realização de dez eventos-teste. Serão permitidos entre 15 de junho e 30 de julho a realização de quatro eventos sociais na capital e no interior; uma feira de negócios em Santos; duas feiras criativas em Campinas e no Memorial da América Latina; e três festas na capital e no interior.

Leia mais sobre eventos e turismo
Projeto de recuperação do setor de eventos é sancionado com vetos a medidas essenciais às empresas
FecomercioSP comemora aprovação do plano de recuperação para os setores de eventos e de turismo, mesmo com alterações no texto
Pronampe permanente vai auxiliar na recuperação de pequenas empresas

Os eventos terão limitação de público e ambiente controlado. Para garantir a segurança de todos, envolvidos nos encontros, trabalhadores e convidados deverão ser testados 24 horas antes do evento e só participarão caso o resultado para covid-19 seja negativo.

A iniciativa é inspirada em exemplos internacionais – e importante ressaltar que eventos de grande aglomeração permanecem proibidos. Aqueles que desrespeitarem as normas serão autuados conforme a infração cometida.

Participação

Na quarta-feira da semana passada (19), o governo estadual anunciou que planejava o início de eventos-teste e, na última terça-feira (25), a FecomercioSP participou de uma reunião com empresários do setor e com o governador João Doria para tratar da iniciativa.

Após o encontro, o Conselho de Turismo (CT) da Federação, inclusive, enviou um documento para Doria no qual reforça ser favorável à decisão positiva para estas atividades, com os devidos cuidados.

No texto, a Entidade afirma terem sido feitos grandes investimentos em treinamentos, equipamentos e tecnologia, para que tudo seja feito de maneira a respeitar todos os protocolos sanitários, de testagem e de distanciamento.

Impactos

Desde o início da pandemia, o conselho tem monitorado de perto os impactos da atual crise econômica com as restrições das atividades e de circulação, bem como atuado para que o Poder Público ampare os negócios. Segundo dados da FecomercioSP, o prejuízo do turismo nacional soma quase R$ 70 bilhões. Alguns deles conseguem operar, mas com capacidade reduzida, como é o caso dos meios de hospedagem. Por outro lado, os eventos não tiveram condições de voltar e permanecem paralisados até então, tendo que se adaptar ao modelo virtual, como única saída.

Recentemente, no âmbito do Congresso Federal, foi aprovado o Projeto de Lei 5.638 de 2020, convertido na Lei 14.148 de 2021, que cria o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos e Turismo (Perse) e o Programa de Garantia aos Setores Críticos (PGSC). Trata-se um suporte financeiro às empresas do turismo e de eventos. Entretanto, a imprevisibilidade sobre o retorno das atividades continua sendo um grande desafio para o setor de eventos, que não consegue se organizar, sobretudo por ser um segmento no qual o planejamento é uma variável fundamental.