Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Podcasts

04/12/2020

Pirataria é problema cultural incentivado pela tributação e pela taxação excessiva no setor de entretenimento

Especialistas destacam que consumo de conteúdo pirata cresceu durante a pandemia de covid-19

Ajustar texto: A+A-

Pirataria é problema cultural incentivado pela tributação e pela taxação excessiva no setor de entretenimento

Entrevistadas citam estudos que comprovam os prejuízos da pirataria para a indústria e para o Produto Interno Bruto (PIB), bem como os impactos sistêmicos
(Arte: TUTU)

A pirataria e o excesso de tributação prejudicam o setor de entretenimento, que tem de lidar com aumento do acesso ilegal aos conteúdos durante a pandemia de covid-19. O tema é debatido pelas empresas de entretenimento Globo, SKY/AT&T e Motion Picture Association no Brasil, no segundo episódio que retrata o setor na série Mercado & Perspectivas, do podcast da FecomercioSP.

“Um dos motivos do crescimento da pirataria é justamente porque as pessoas querem consumir mais, mas sem pagar por isso. Existe uma tendência cultural de entender a pirataria como um acesso legítimo, pois a pessoa comprou aquela caixinha e está acessando um site legítimo, quando, na verdade, o ato de consumir um conteúdo que não foi efetivamente comercializado e disponibilizado, por meio de um agente capaz de fazer isso, é crime. Então, a pandemia deixou muito claro para nós que a aceleração digital, o crescimento da internet e o número de usuários pode aumentar ainda mais a pirataria no audiovisual”, diz a gerente de Relações Institucionais do Grupo Sky AT&T, Anna Beatriz Almeida.

Empresas de entretenimento buscam acelerar transformações na pandemia

“Infelizmente, no Brasil, a pirataria é um problema real que desfalca os cofres públicos, gera concorrência predatória e prejudica a geração de empregos formais. É, de fato, um prejuízo social tremendo, e o Brasil tem despertado preocupação no mundo com relação a este assunto, pois mais de 49% das pessoas consomem conteúdo pirata. Somos o terceiro país que mais consome pirataria no mundo e o primeiro país na América Latina em consumo de produtos piratas”, alerta a coordenadora de Relações Institucionais do Grupo Globo, Thaís Marçal.

Na conversa, a diretora de Relações Governamentais da MPA Brasil, Andressa Pappas, cita estudos que comprovam os prejuízos da pirataria para a indústria e para o Produto Interno Bruto (PIB), bem como os impactos sistêmicos. “Houve um aumento da pirataria não só no Brasil, mas no mundo inteiro por causa da pandemia, que está muito além de um mero download de um filme. O impacto disso na indústria é altíssimo, mas não é só na indústria, é no consumidor.”

Ouça o podcast

O conteúdo também está disponível no Spotify e no Apple Podcasts.