Economia

18/01/2019

Varejo e serviços paulistanos têm trajetória ascendente de faturamento e geração de empregos

Dados consolidados pela FecomercioSP mostram resultados positivos nas vendas e na criação de vagas formais na cidade de São Paulo em 2018

Varejo e serviços paulistanos têm trajetória ascendente de faturamento e geração de empregos

Análise da trajetória dos setores refletiu nas projeções da FecomercioSP
(Arte: TUTU)

O desempenho dos setores varejista e de serviços paulistanos são expressivos para a economia, tanto em faturamento quanto em geração de empregos. A análise da trajetória ascendente durante 2018 refletiu nas projeções da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

O varejo deve encerrar 2019 com faturamento de R$ 217,3 bilhões, 3% acima do ano anterior. Essa quantia representa 30,5% de tudo o que se vende no Estado de São Paulo. E significa afirmar que o comércio deve vender R$ 6,57 mil por segundo (ou R$ 568 milhões por dia) em diversos setores, como supermercados, farmácias, veículos, eletrodomésticos, materiais de construção, vestuário, entre outros.

Para o setor de serviços, a estimativa da Entidade é que o faturamento de 2018 fique em R$ 344 bilhões, 15% acima do registrado no ano anterior.

Veja também:
Cidade de São Paulo faz 465 anos com economia aquecida
São Paulo é 18º destino mais popular de negócios no mundo

Dados consolidados
Apenas em outubro de 2018, segundo dado mais recente da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV), as vendas na capital registraram alta de 6% em relação ao mesmo mês do ano passado, atingindo R$ 18,1 bilhões. Foi a segunda maior cifra para um mês de outubro desde o começo da série histórica, em 2008. A taxa acumulada no ano foi de 4,1%, o que representa um incremento de R$ 6,8 bilhões em comparação ao apurado entre janeiro e outubro do ano passado.

A capital também é a que mais possui e gera empregos formais no Estado. O setor possui mais de 650 mil empregos na cidade (31% do Estado de São Paulo) e no acumulado de 2018, de janeiro a novembro, 3.153 vagas foram abertas. As informações são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo).

No setor de serviços, a capital paulista teve faturamento real de R$ 30,5 bilhões em outubro, a maior cifra para o mês desde o início da série histórica, em 2010. Em comparação ao mesmo período de 2017, a Pesquisa Conjuntural do Setor de Serviços (PCSS) mostra que houve crescimento de 18%, o que representa um montante R$ 4,7 bilhões superior nas receitas do setor. As vendas avançaram 15,1% nos dez primeiros meses do ano passado.

Em relação à criação de empregos celetistas no setor de serviços paulistanos, o setor possui mais de 3,5 milhões de postos de trabalhos formais, quase metade de todo estoque paulista, e 7.402 vagas foram abertas em novembro passado. A Pesquisa de Emprego no Setor de Serviços do Estado de São Paulo (PESP Serviços) aponta que esse é o melhor resultado entre as 16 regiões analisadas. 

info__aniversariosp__2