Sustentabilidade

28/10/2014

Cartilha compara consumo de água por atividades e estabelecimentos

Material traz dicas para cidadãos e empresas economizarem água; gasto com hóspede em hotel e lava rápido supera volume utilizado em creches e escolas

Cartilha compara consumo de água por atividades e estabelecimentos

Lavar o carro em um lava-rápido consome 250 litros de água. Esse volume chega a ser cinco vezes maior do que o gasto diário de uma criança em uma creche. Para que cidadãos, consumidores e empresários tenham consciência da importância do uso racional de água, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) decidiu lançar uma cartilha sobre o assunto.

A Entidade pretende contribuir com a sociedade ao orientá-la sobre o uso racional da água, considerando o período de seca na região metropolitana (RMSP) de São Paulo. O Sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento da RMSP, chegou a operar com 3% da capacidade em outubro, menor marca da história de medições da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). 

A situação já mostra reflexos no dia a dia do paulistano que, em algumas regiões, sofre com a constante falta d’água, levando à perspectiva de um racionamento iminente. A cartilha traz uma série de dados sobre o volume de água consumida em diversos tipos de estabelecimentos comerciais, como bares, aeroportos, escolas, restaurantes e lavanderias. "Pode ser considerado um sinalizador para o comerciante sobre a importância da água para o seu negócio e um bom parâmetro sobre o consumo da concorrência", afirma o presidente do Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP, José Goldemberg.

Segundo o especialista em sustentabilidade, uma das preocupações para a elaboração da cartilha foi apresentar dicas para a redução de consumo. Uma delas é o uso de produtos sem fosfato para a limpeza de automóveis e utensílios em geral, pois fazem menos espuma e demandam menor quantidade de água. Em casa ou no trabalho, uma dica é utilizar o mesmo copo para beber água durante todo o dia. "Para lavar um copo, são necessários dois copos cheios de água", lembra.

A cartilha foi realizada com base em dados de autarquias municipais de serviços autônomos de água e esgoto, Agência Nacional das Águas, Sabesp, entre outras. Entre diversas informações disponíveis, há um cronograma para a manutenção preventiva de instalações hidráulicas, além de informações sobre os planos de bonificação por redução de consumo e diversas curiosidades sobre a oferta de água no Estado de São Paulo. O Estado conta com baixíssima disponibilidade hídrica e está em condição crítica, com apenas 201 m³/habitante/ano, volume inferior ao Estado mais seco da Região Nordeste do País, Pernambuco, com 1.320 m3/habitante/ano. 

Essa situação obriga a reversão de aproximadamente 31 m³/s de bacias hidrográficas vizinhas para atender à demanda da região metropolitana. Todo o conteúdo pode ser conferido na cartilha "Água: o que o Empresário do Setor de Comércio e Serviços Precisa Saber e Fazer para Preservar este Precioso Recurso", disponível aqui

Confira, abaixo, a relação dos estabelecimentos comerciais e a quantidade de água utilizada, em média, por cada segmento: