Economia

10/04/2017

Comércio no interior paulista cresce e contribui para alta do setor no Estado

Em 2016, enquanto varejo no interior registrou alta de 2,1%, Região Metropolitana teve queda de 1,8%

Comércio no interior paulista cresce e contribui para alta do setor no Estado

Crescimento do comércio no interior em 2016 reverteu a recessão que o setor enfrentou na região em 2014 e 2015
(Tutu)

O comércio varejista do Estado de São Paulo faturou R$ 587 bilhões em 2016, resultado praticamente igual ao do ano anterior, com uma alta mínima de 0,1%. O que contribuiu para que o setor não fechasse no vermelho foi o desempenho das vendas no interior paulista.

Varejo paulista elimina 16.352 empregos em janeiro, o menor saldo negativo para o mês desde 2013
Saques das contas inativas do FGTS podem alavancar em até 2,4% o faturamento do varejo brasileiro em 2017, aponta FecomercioSP
Varejo paulista inicia o ano com crescimento de 4,2% nas vendas

Organizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista indicou que, nas 13 regiões que compõem o interior paulista, as vendas cresceram 2,1% no ano passado – só em dezembro a alta foi de 4,4% na comparação com o mesmo mês de 2015.

O crescimento do comércio no interior em 2016 reverteu a recessão que o setor enfrentou na região em 2014 e 2015, quando a receita registrou queda de 0,5% e 7,3%, respectivamente.

No ano passado, se destacaram o desempenho do varejo em Marília e as vendas no setor supermercadista em Araraquara, que registraram os melhores resultados da série histórica da pesquisa.

Também merece destaque o agronegócio. De acordo com levantamento da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e da Universidade de São Paulo (USP), o crescimento do setor deve ficar próximo a 7%, impulsionado pela produção de açúcar e laranja.

comercio_interior_economix

Por outro lado, o varejo na Região Metropolitana de São Paulo – composta pela Capital, Guarulhos, Osasco e os municípios do ABCD – teve queda de 1,8% em 2016, embora em porcentual mais baixo do que nos anos anteriores, quando a queda foi de 4,9% em 2014 e de 5,4% em 2015.

Contudo, as vendas na Região Metropolitana tiveram resultado positivo no último bimestre de 2016, com alta de 2,4% em novembro e 1,8% em dezembro. A tendência é de que a região passe a registrar crescimento no acumulado em 12 meses a partir do segundo trimestre deste ano.

Portanto, o comércio do interior paulista ter saído da crise no ano passado foi fundamental para que o varejo estadual não continuasse no ciclo recessivo, mostrando sua importância para a economia do estado mais rico do País.

pccv_interior_rmsp