Economia

01/11/2018

Confiança do empresário paulistano sobe novamente em outubro

Após cinco meses de quedas, a confiança dos empresários em relação ao futuro voltou a subir

Confiança do empresário paulistano sobe novamente em outubro

Avanço do indicador em setembro e outubro está associado a melhora de algumas variáveis decisivas para expansão do comércio
(Arte: TUTU)

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio no Município de São Paulo (ICEC) avançou 0,8%, ao passar para 102,6 pontos em outubro. Essa é a segunda alta seguida do indicador após cinco meses de quedas. Entretanto, na comparação interanual, o ICEC registrou queda de 4,5%.

O ICEC é elaborado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), e a escala de pontuação varia de 0 (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

Veja também:
Setor de turismo paulista mostra recuperação e abre novos postos de trabalho em agosto
Confiança do consumidor sobe pelo terceiro mês consecutivo em outubro
Momento é adequado para o empresário equilibrar o estoque

O indicador é composto pelo Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), pelo Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) e pelo Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC). Em outubro, o ICAEC avançou 3,2% e chegou aos 73 pontos. O IEEC registrou alta de 0,3%, passando para 145,2 pontos, e o IIEC caiu 0,3% e atingiu 89,5 pontos.

O avanço do indicador em setembro e outubro está associado a melhora de algumas variáveis decisivas para expansão do comércio, tais como a redução da inflação nos últimos dois meses, a queda do dólar e o avanço da confiança do consumidor. A proximidade com as festas de fim de ano, que normalmente alavancam o ânimo dos empresários e consumidores, é outro fator responsável pela melhora da confiança da classe empresarial.

Apesar dessa melhora, a propensão dos empresários por novos investimentos voltou a cair nos dois últimos meses. Retração que pode ser atribuída a fraca recuperação do comércio. A orientação da FecomercioSP é para que os empresários evitem altos estoques e endividamento, pois o processo de recuperação mais profundo e evidente não deve ocorrer enquanto houver forte incerteza de que tipo de política econômica será implementada a partir de 2019.

Por porte
Na segmentação por porte, as pequenas e as grandes empresas apresentaram resultados opostos em outubro. A confiança das empresas com até 50 empregados teve leve alta de 0,8% e atingiu 102 pontos, enquanto que o índice das empresas com mais de 50 empregados registrou queda de 1,4% e atingiu 129,3 pontos. Embora as grandes empresas tenham sofrido retração, o indicador permaneceu no patamar otimista (acima de 100 pontos).