Negócios

26/11/2018

Delegar tarefas potencializa a eficiência dos negócios

Gestor precisa conhecer as competências de sua equipe para que as atividades possam ser realizadas de maneira eficaz

Delegar tarefas potencializa a eficiência dos negócios

Delegar tarefas é uma habilidade importante para o cargo de gestor
(Arte/Tutu)

Definir a estrutura de liderança de uma empresa é, sem dúvida, uma tarefa de grande importância, pois cada modelo contém procedimentos característicos, de modo que o empreendedor deve avaliar qual melhor se adapta ao seu negócio para uma gestão mais eficiente.

Uma das estruturas mais conhecidas é a de gestão vertical, em que a empresa é dividida em departamentos bem definidos e a hierarquia de cargos segue um organograma de subordinação. Nesse modelo, o subordinado deve seguir as orientações de seu superior.

Veja também
Alto índice de chargeback pode pôr em risco operações de comércio eletrônico
Controle financeiro reduz risco de insolvência da empresa
Lei do MEI completa dez anos como importante fonte de geração de emprego e renda

Um método alternativo é o de gestão horizontal, no qual os funcionários formam grupos de trabalho, sendo que todos têm autonomia para tomar decisões dentro do escopo de seu agrupamento.

Também há o modelo de gestão compartilhada. Nesse caso, os gerentes são referências em temas de suas especialidades, contudo, não exercem poder. Com isso, as soluções são obtidas em conjunto pelo gerente e sua equipe, de modo que o papel do líder trata de inspirar e engajar o grupo de trabalho.

De todo modo, independentemente do modelo de gestão, o ato de delegar tarefas potencializa os resultados. A ação de delegar consiste basicamente em atribuir determinada responsabilidade a outra pessoa.

Nesse sentido, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) apresenta algumas ações que o empresário pode pôr em prática para promover a descentralização da gestão dos negócios:

• Valorize e aloque os funcionários em atividades em que possam tirar proveito de seu potencial, competência e experiência;

• Considere o ponto de vista dos colaboradores em vez de valorizar apenas a própria opinião, dando atenção às propostas e evitando críticas precoces;

• Administre com calma discussões em momentos de tensão, pois fazem parte do processo de criação e inovação;

• Proporcione um ambiente de trabalho interativo que estimule discussões coletivas e que favoreça a comunicação sem obstáculos físicos;

• Identifique e valorize semelhanças e pontos em comum entre os funcionários, pois a divisão de tarefas pode proporcionar maior afinidade entre os envolvidos, além de evitar eventuais conflitos;

• Cuide para que todas as pessoas que, de alguma forma, serão impactadas por decisões, possam participar do projeto, contribuindo e assumindo responsabilidades;

• Estabeleça prazos, responsabilidades e padrão de qualidade esperado, sempre acompanhando e auxiliando o andamento das atividades;

• Certifique-se que a atividade em questão pode ser realizada, de modo que não desmotive o liderado;

• Permita e incentive os colaboradores a descobrir maneiras mais eficientes e criativas de executar suas tarefas.

Por vezes, o gestor tem receio de delegar tarefas por temer que o trabalho não seja feito da forma como ele mesmo faria. Contudo, a centralização das atividades pode ser um grande problema, pois tende a gerar custos e a retardar resultados. Quando as tarefas são divididas e delegadas às pessoas com competência para realizá-las, os resultados podem ser melhores do que se tivessem sido feitas pelo líder. Por isso, uma das grandes habilidades de um gestor é a capacidade de delegar e interagir com a sua equipe.