Economia

16/05/2017

Disposição dos varejistas para expandir o negócio sobe pelo segundo mês consecutivo

Em abril, indicador cresceu 9,1% na comparação com março e 36,1% em relação ao mesmo mês de 2016

Disposição dos varejistas para expandir o negócio sobe pelo segundo mês consecutivo

Para a FecomercioSP, as reformas aprovadas ou em vias de aprovação geram ambiente mais propício para crescimento dos investimentos, ao menos no médio prazo
(Reprodução/Freepik)

O Índice de Expansão do Comércio (IEC) segue em alta pelo segundo mês consecutivo e cresceu 9,1% em abril, ao passar de 81,5 pontos em março para 88,9 pontos no mês. Na comparação com o mesmo mês de 2016, houve expressiva elevação de 36,1%. A pesquisa é realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). 

De acordo com a FecomercioSP, os resultados de abril são suficientes para afirmar que o empresário está mais confiante no início deste ano do que estava em 2016 e antecipa dias melhores. Os dados, tanto na margem quanto na comparação com o mesmo período de 2016, ratificamas expectativas de que está em gestação um processo de melhoria econômica. A Entidade pondera que ainda existem muitos obstáculos a serem transpostos, mas essa consistência de melhoria das perspectivas não foi perdida apenas por momentos pontualmente ruins, que estão se tornando passageiros como se viu no começo do ano, rapidamente repostos com melhores prognósticos. 

Veja também:
Setor de serviços paulistano cresce pelo terceiro mês seguido
Confiança do empresário do comércio sobe em abril
Vendas do varejo paulista no mês do Dia das Mães devem crescer 4%

O bom desempenho no mês foi motivado pelo crescimento da Expectativa para Contratação de Funcionários, que alcançou os 110,2 pontos - único item que se encontra na faixa de otimismo -, alta de 10,2% em relação a março. Na comparação com abril de 2016, quando o item registrava 74,7 pontos, a elevação foi de 47,6%. O Nível de Investimento das Empresas também cresceu (7,3%) passando dos 63,1 pontos em março para os 67,7 pontos no mês. No contraponto anual, a alta foi de 20,9%. 

Para a Entidade, as reformas e ajustes (aprovados ou em vias de aprovação) geram um ambiente mais propício para o efetivo crescimento dos investimentos, ao menos no médio prazo. Muita coisa ainda tem que ser feita e ainda há grandes incertezas. Porém, de acordo com a Federação, há um processo efetivo de aumento da propensão a investir no Brasil vindo do exterior, mas a difusão desses efeitos é demorada. A dinâmica do processo interno de expansão (com idas e vindas) basicamente se inicia, segundo a FecomercioSP, com a retomada das contratações e com um princípio de retomada da indústria e até de vendas em segmentos como o de automóveis. 

A recuperação do fôlego e ritmo do varejo e de outros setores, normalmente, começa a ocorrer após o Carnaval, e é identificado nas pesquisas de abril ou maio. Os primeiros dados de abril confirmam inicialmente essa percepção e, conforme antecipado pela FecomercioSP, é provável que todos os indicadores de confiança voltem a crescer mais consistentemente já no segundo trimestre do ano.