Negócios

23/07/2015

Mercado religioso cresce e se mostra bilionário

Milhões de fieis movimentam o comércio a partir de eventos, romarias e visitações a templos

Mercado religioso cresce e se mostra bilionário

Por Barbara Oliveira

No Brasil o catolicismo mobiliza 57% da população – aproximadamente 116 milhões de pessoas –, enquanto as igrejas evangélicas arregimentam perto de 42 milhões de fiéis (25%), de acordo com pesquisas feitas pelo Datafolha em 2013. Os espíritas, com 3%, estão em terceiro lugar, seguidos por testemunhas de Jeová, umbandistas, budistas, adeptos do candomblé, judeus e muçulmanos.

Esse público estimula a realização de eventos no País e movimenta a economia com a construção de templos e igrejas; instalação de sistemas de segurança; vendas de artigos religiosos e shows. Festas e romarias turbinam o turismo religioso, com a movimentação de aproximadamente R$ 15 bilhões, segundo o Instituto Data Popular.

No ano passado, mais de 17 milhões de fiéis fizeram esse tipo de turismo. Deles, em torno de 7,7 milhões hospedaram-se em hotéis ou pousadas e consumiram em restaurantes e em lojas. “É um setor que tende a crescer mais no País”, avalia o diretor do departamento de estudos e pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco Salles Lopes.

Os destinos mais procurados pelos católicos são o Santuário Nacional de Aparecida (São Paulo), Círio de Nazaré (Belém), Juazeiro do Norte (Ceará) e Nova Trento (Santa Catarina). Os evangélicos têm movimentado o Templo de Salomão (São Paulo). A Marcha para Jesus, promovida pela igreja Renascer, em São Paulo, Rio de Janeiro e outras capitais também está na agenda de milhares de cristãos e integra o calendário oficial do País desde 2009.

Exposições

Esse mercado atrai ainda exposições, como a ExpoCatólica, da qual participam editoras de livros e CDs, lojas de artigos religiosos, móveis e equipamentos de áudio, de vídeo e de iluminação para as igrejas. “A ExpoCatólica gera negócios em torno de R$ 5 milhões nos quatro dias de realização e, até R$ 20 milhões, ao longo dos dois meses seguintes”, informa Kiara Castro e Castro, diretora da Promocat, empresa promotora do evento.

Empresas de tecnologia, de vídeo, de som e de iluminação também estão investindo no segmento e criaram, neste ano, uma feira exclusiva para atender à demanda de templos e paróquias. A Church Tech Expo, realizada em maio último em São Paulo, é a primeira do gênero na América Latina e teve 200 empresas participantes com 90 expositores. Victor Hugo Piiroja, CEO da VP Group Comunicação Integrada e promotora da Expo, lembra que, diariamente, 12 igrejas e templos são abertos por dia.

Um censo do setor, feito no período de 2013/2014 pela empresa, concluiu a existência de 350 santuários e 11.312 paróquias no País. Os templos evangélicos somam mais 220 mil, segundo o Serviço de Evangelização para a América Latina.

Música e livros

As músicas religiosas são muito executadas em rádios, em canais de tevê e na web, vendendo milhões de CDs, DVDs e downloads entre os cristãos. O mercado gospel cresce 14% ao ano e reúne mais de 150 gravadoras. Segundo a Associação Brasileira de Produtores de Disco (ABPD), esse tipo de música sempre está entre os 20 discos mais vendidos no Brasil. Tanto que as grandes gravadoras criaram selos específicos para ele.

A Câmara Brasileira do Livro informa que o faturamento com as vendas de obras religiosas supera R$ 500 milhões ao ano. Só em 2013, segundo uma pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), foram vendidos 72,4 milhões de exemplares, e pelo menos 30% dos títulos se referem à religião.

O interesse do público por publicações religiosas chamou a atenção da editora espanhola Planeta, uma das mais importantes do mundo. No ano passado, a empresa lançou o selo Pórtico, destinado a evangélicos, e recentemente fechou parceria com a comunidade Canção Nova para publicar obras católicas.

Confira aqui a matéria na íntegra, publicada na edição nº 39 da revista Comércio & Serviços.