Economia

23/01/2019

Otimismo do consumidor beneficia empresário que fez boas vendas no Natal

FecomercioSP orienta que, no mês de janeiro, varejistas realizem promoções e liquidações com menos intensidade

Otimismo do consumidor beneficia empresário que fez boas vendas no Natal

Análise mostra que a intenção em tomar crédito subiu 29% em comparação ao mesmo período do ano passado
(Arte: TUTU)

O empresário que obteve sucesso nas vendas do Natal pode realizar promoções e liquidações com menos intensidade no mês de janeiro. Isso porque o consumidor tem se mostrado otimista e mais propenso a “ousar”, segundo aponta a Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE), elaborada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

A análise mostra que a intenção em tomar crédito subiu 29% em comparação ao mesmo período do ano passado. Em relação a dezembro, o indicador caiu 7,3% e alcançou os 51,3 pontos em janeiro, contra 55,3 pontos no mês passado. O resultado é baseado na expectativa de crescimento da economia e do emprego, que faz com que o consumidor se mostre interessado em adquirir novos produtos.

Veja também:
Parcela de famílias paulistanas endividadas em dezembro cai ao menor índice desde fevereiro de 2017
Varejistas devem manter otimismo moderado para as vendas em 2019
Após aumento de empregos, varejo deve avaliar quadro funcional para 2019

O indicador de segurança de crédito que compõe a pesquisa e mede a capacidade do consumidor de pagar dívidas registrou em janeiro a segunda queda seguida (-0,6%) e atingiu os 79,1 pontos. Também com relação a janeiro de 2018, o indicador de segurança foi, em média, 4% menor, o que significa que as famílias viveram, ao longo de 2018, um pouco acima das suas possibilidades.

Aplicações
A poupança perdeu a preferência entre os modelos de aplicação financeira, mas ainda reina líder junto com a renda fixa. Em janeiro, 58,6% dos entrevistados escolheram a poupança como forma de investimento, enquanto a renda fixa ficou em 20,9%. No mês de dezembro, eles representavam 55,2% e 19,5% das aplicações, respectivamente.

A previdência privada é a opção para 8,5% dos entrevistados – ante 9,3% em dezembro –, e esse índice pode subir nos próximos meses (entre fevereiro e março) caso o atual sistema previdenciário seja reformado.

A FecomercioSP acredita que se o momento de otimismo persistir por mais alguns meses, o investimento na Bolsa de Valores e as aplicações em ações tendem a aumentar. Atualmente, essa é uma opção para 3,8% dos entrevistados, ante 5,1% em dezembro.