Economia

11/03/2016

Páscoa do paulistano será mais cara, aponta FecomercioSP

Segundo o levantamento da Federação, nos últimos 12 meses, peixes e chocolates tiveram aumento de 13,12% e 12,35%, respectivamente

Páscoa do paulistano será mais cara, aponta FecomercioSP

Dos cinco tipos de peixes pesquisados, três apresentaram altas acima da inflação média
(Arte TUTU)

Ainda faltam duas semanas para a Páscoa, mas já é possível afirmar que a celebração pesará mais no bolso do paulistano. Os produtos normalmente mais consumidos nesta época do ano - peixes e chocolates - estão bem mais caros. Segundo o levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), os chocolates em barra e bombons já tinham subido 12,35% nos últimos 12 meses até fevereiro - mais do que a inflação média (10,18%) -, o que poderá se refletir no preço final dos ovos. O preço dos peixes, por sua vez, subiu 13,12%, em média, no mesmo período. A pesquisa foi realizada com base nos dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Dos cinco tipos de peixes pesquisados, três apresentaram altas acima da inflação média, com destaque para a merluza, que teve a maior elevação nos últimos 12 meses, 27,45%, seguida pelo salmão (24,16%). A assessoria econômica da FecomercioSP destaca que, por serem peixes importados, estão sujeitos à variação do dólar, que entre março de 2015 e fevereiro deste ano variou 26,6%. Por outro lado, apresentaram menor aumento no período os preços da sardinha (10,47%), do cação (8,84%) e da pescada (5,76%).

Itens utilizados como tempero nas refeições também sofreram os impactos da alta do dólar. Os preços do azeite e do alho subiram 32,14% e 66,73% no período, respectivamente. Além deles, cebola, cenoura e tomate - que costumam figurar como acompanhamentos nas refeições da Páscoa - estão entre os produtos que vêm apresentando maior alta de preços. O valor médio da cebola subiu 49,41% no acumulado de 12 meses até fevereiro, enquanto a cenoura e o tomate subiram 29,20% e 27,66%, respectivamente, no mesmo período.

Para a FecomercioSP, com a alta dos preços, a tendência é que o consumidor substitua o que costuma comprar por itens mais acessíveis. A elevação do dólar e a pressão inflacionária sobre os alimentos impactaram fortemente o seu poder de compra, tornando-o cada vez mais cauteloso na hora das compras. O mau momento da economia e o desaquecimento do consumo também devem ser sentidos nesta Páscoa.

infografico-pascoa-post