Economia

20/03/2017

Setor de viagens e eventos do Estado de São Paulo eliminou 6.187 empregos em 2016

Segundo pesquisa da Entidade, somente no último trimestre do ano, 4.566 postos de trabalho formais foram extintos nas seis atividades analisadas

Setor de viagens e eventos do Estado de São Paulo eliminou 6.187 empregos em 2016

Entre as seis atividades analisadas, a única que apresentou crescimento no número de empregos em 2016 foi o setor de alimentação com alta de 2,9% e mais 1.729 novas vagas
(arte TUTU)

O setor de viagens e eventos do Estado de São Paulo extinguiu 6.187 postos de trabalho formais em 2016. Somente nos meses de outubro, novembro e dezembro foram eliminados 4.566 empregos. Em termos de variação porcentual, o estoque ativo de empregados se reduziu em 1,6% em relação ao terceiro trimestre e 2,2% na contraposição do estoque findado em dezembro de 2015. Com isso, o setor encerrou o ano com estoque total de 276.564 trabalhadores formalmente empregados. 

Os números são da Pesquisa de Emprego do Setor de Viagens e Eventos (PESVE) baseada nos dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais) e do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho). 

Entre as seis atividades analisadas, a única que apresentou crescimento no número de empregos em 2016 foi o setor de alimentação com alta de 2,9% e mais 1.729 novas vagas. 

Por outro lado, o setor de cultura e esportes teve a maior redução em número de empregos no ano, com queda de 7,9% e 389 postos de trabalho a menos. Em segundo lugar, o setor de agências e operadoras de viagens recuou 4,3% e perdeu 1.092 empregos formais. 

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, os números do último trimestre de 2016 mostram que o mercado de trabalho formal do setor de viagem e eventos do Estado de São Paulo aprofundou sua crise. O saldo negativo foi mais que o dobro da perda registrada no terceiro trimestre. 

Apesar de encerrar o ano de 2016 com menos empregos formais, nem todas as notícias são ruins, pois se perdeu menos vagas no 4° trimestre de 2016 que no mesmo período de 2015 e este fato, segundo a Federação, deixa um indício inicial de recuperação deste setor na economia paulista. Assim como já se observa na maioria dos outros setores econômicos, a expectativa da Entidade para o setor de viagens e eventos em 2017 são de saldos menores, sejam eles positivos ou negativos. Isto é, a projeção é de uma estabilidade do mercado de trabalho celetista, principalmente no segundo semestre. 

Tendo uma economia tão dinâmica como a paulista e possuindo a capital brasileira de viagens e eventos corporativos, que é o Estado de São Paulo, para que o setor de viagens e eventos paulista volte a aquecer, a FecomercioSP pondera que é necessário uma melhoria mais homogênea do ambiente de negócios nacional. 

Regiões paulistas

Segundo a pesquisa, dentre as Macro Regiões Turísticas (MRT) do Estado de São Paulo, cerca de 52% da mão de obra diretamente ligada ao setor de viagens e eventos estão alocadas na Capital Estendida, que compreende mais de vinte municípios, entre eles São Paulo, Guarulhos, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo e Barueri. Já outros 13,8% da mão de obra das atividades que compõem a PESVE estão na MRT Entradas e Bandeiras, com destaque aos municípios de Campinas, Atibaia, Águas de Lindóia, Jundiaí, Hortolândia, Indaiatuba, Serra Negra, Piracicaba, São Pedro e São Roque. 

O desempenho negativo do emprego formal no setor no último trimestre de 2016 foi puxado principalmente pelos números da Capital Expandida (-4.712 vagas), com destaque para serviços de transportes e setor alimentício. Por outro lado, o maior destaque positivo foi observado na geração de empregos formais nas atividades ligadas diretamente a viagens e eventos na MRT Vale do Paraíba, Serras e Mar e na MRT Praias e Mata Atlântica, com saldos positivos de 1.145 vagas e 439 vagas, respectivamente.