Negócios

31/10/2017

Varejo precisa adotar medidas de prevenção para evitar perdas nos negócios

Em 2016, supermercados registraram perdas de R$ 7,11 bilhões em função de erros operacionais, furtos e outros problemas

Varejo precisa adotar medidas de prevenção para evitar perdas nos negócios

Falhas operacionais e administrativas contribuem para as perdas nos supermercados
(ARTE/TUTU)

Erros operacionais e administrativos, furtos e problemas em geral foram responsáveis por perdas de R$ 7,11 bilhões aos supermercados brasileiros em 2016, valor que corresponde a 2,1% do faturamento do setor. A taxa de perdas superou o registrado em 2015, quando foi de 1,96%, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

Os dados fazem parte do 17º Estudo Nacional sobre Prevenção de Perdas nos Supermercados, pesquisa realizada com 339 empresas do setor que, juntas, somam R$ 58 bilhões em receita.

Veja também
Pequenos negócios procuram se fortalecer em cooperativas
Empreendedor precisa entender o ciclo de vida da empresa para conduzir os negócios
FecomercioSP apresenta os erros mais comuns de gestão financeira

As perdas no varejo ocorrem por diversos motivos. Os dados apontam que os principais são quebras operacionais (29%), furto externo (18%), erros de inventário (15%), outros ajustes (13%), erros administrativos (9%), furto interno (8%) e problemas com fornecedores (8%).

Percebe-se que a maior parte das perdas está relacionada às quebras operacionais, que muitas vezes dependem da destreza e do cuidado dos próprios colaboradores.

Os furtos externos, segunda principal causa das perdas do setor, têm como destaque os roubos de carnes (20%), bebidas alcoólicas e bebidas em geral (20%), celulares, smartphones e eletrônicos (13%), e perfumaria (12%). As ocorrências desse tipo costumam ser registradas com mais frequência em tempo de recessão econômica.

O varejo brasileiro trabalha com margens de lucro estreitas. Com isso, as perdas relacionadas a roubos, furtos e problemas operacionais comprometem a rentabilidade do negócio, impactando até mesmo a sobrevivência da empresa.

Dessa maneira, para que o varejo possa reduzir o porcentual de perdas, é necessário adotar medidas de prevenção, que passam pela revisão dos processos organizacionais, dos procedimentos interno e externo, dos mecanismos de logística e dos controles financeiros. Contudo, segundo a pesquisa da Abras, 40,3% das empresas do setor não possuem departamento de prevenção de perdas, cuja função é acompanhar e combater esses problemas.

Além disso, contribuem para minimizar as perdas, a realização de inventários no decorrer do ano e a utilização de sistemas de segurança.

De todo modo, essas atividades devem trazer resultados positivos somente com o empenho do quadro de funcionários. Um meio de engajar os empregados para atuar de maneira preventiva é adotar mecanismos eficazes de remuneração estratégica, com metas voltadas para a redução de perdas.

A estratégia deve ser muito bem planejada e precisa contemplar todos os principais pontos que geram perdas no negócio. Esse pode ser um bom caminho para que o varejista possa obter melhores resultados.